Sete dias da semana sem medo da notícia

Quadrilha de policiais cearenses é presa suspeita de formar um grupo de extermínio
Grupo é formado por dois PMs da Ativa, um PM afastado das funções e um ex-militar, além de um inspetor da DHPP, foi capturada logo após matar um suposto traficante de drogas na cidade de Jijoca de Jericoacoara
Um dos crimes ocorreu no meio da tarde de terça. quando Jean foi morto pelos policiais na calçada de uma residência
Por: Fernando Ribeiro
21/03 7:23

Cinco policiais cearenses foram presos nesta terça-feira (21), sendo dois  PMs  da Ativa, um ex-PM e um afastado das funções, além de um inspetor da Polícia Civil lotado na Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP). Os cinco são suspeitos de formar um grupo de extermínio que vinha praticando assassinatos no Litoral Oeste do estado. O grupo foi capturado na cidade de Acaraú (a 234 Km de Fortaleza) logo após matar um jovem identificado como Francisco Renan Portela de Araújo, 28 anos, em Jijoca de Jericoacoara.

A prisão da quadrilha aconteceu por volta das 15h30, logo após ser registrado o assassinato em Jijoca. Renan foi executado com mais de 10 tiros de pistola na calçada de uma residência. Os criminosos fugiram em um veículo modelo ônix, branco, de placas OST-8505 (CE).  Logo, a Polícia Militar montou um cerco na região diante da possibilidade da quadrilha seguir em fuga em direção a Fortaleza.

Cerca de 30 minutos após o crime, policiais da 5ª Companhia do 4º Batalhão de Policiamento Comunitário (BPCom), sediada em Acaraú, com o apoio de uma patrulha do Destacamento da PM de Cruz, abordaram o carro suspeito na entrada da cidade de Acaraú. Nele estavam os cinco suspeitos do assassinato. A intenção do grupo era realmente fugir em direção à Capital.

Os cinco homens estavam armados com pistolas e receberam voz de prisão no local da abordagem, sendo levados presos para a cidade de Itapipoca, onde foi lavrado o flagrante por assassinato. Os cinco homens presos foram identificados como Marcondes Nangle Gomes Quirino, Leandro César de Mesquita Araújo, Francisco Tiago Gomes da Silva, Manoeldo Pereira de Sousa e José Luciano Souza de Queiroz.

Trecho do auto de prisão em flagrante dos policiais capturados logo após o assassinato

Quem são os presos

Marcondes Nangle Gomes Quirino é inspetor da Polícia Civil lotado na Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), órgão responsável pela apuração de assassinatos. O segundo é Leandro César de Mesquita (cabo PM Mesquita), do Batalhão de Rondas de Ações Intensivas e Ostensivas/BPRaio). O terceiro é Francisco Tiago Gomes da Silva, o cabo Thiago, destacado no 15º BPM (Eusébio). O quarto preso é Manoeldo Pereira de Sousa, o Cabo PM Pereira, que está afastado das funções. E o quinto é José Luciano Souza de Queiroz, ex-policial militar.

Além do assassinato de Renan, na tarde desta terça-feira, o grupo é suspeito também de matar o jovem Antônio Álvaro de Albuquerque, 22 anos, assassinado a tiros na tarde de domingo último numa barraca na Praia de Jericoacoara, além de outras mortes recentes naquela região litorânea do estado.

A Polícia também tem uma segunda suspeita de que o grupo estaria matando traficantes e usuários de drogas por vingança, após a morte de um ex-PM de São Paulo em Jijoca de Jericoacoara. O crime aconteceu no último dia 8, quando Silver Max Lopes, 39 anos, foi executado a tiros. Ele era ex-policial do Estado de São Paulo e veio morar no Ceará, se estabelecendo como dono de uma fábrica de gelo na cidade de Jijoca de Jericoacoara. O assassinato ainda está sendo investigado.

Logo após o flagrante na Delegacia Regional de Itapipoca, o grupo preso será trazido para Fortaleza. O policial civil deverá ficar preso na carceragem do Complexo das Delegacias Especializadas (Code), no Bairro de Fátima; enquanto os três PMs e o ex-PM ficarão recolhidos em xadrezes do Presídio Militar, no Quartel do 5º BPM (Praça José Bonifácio).



*Publicidade

Publicidade


Leia Também

Links Patrocinados