Sete dias da semana sem medo da notícia

Primeira-dama de Uruburetama é condenada a 17 anos e desembargador senta no processo
Graça Paiva já foi prefeita do Município e fez todas as maracutaias possíveis. Na 3ª Câmara Criminal, Antônio Pádua tem tudo para bater o martelo e levar a mulher de Dr. Hilson para a cadeia
Dr. Hilson e Graça Paiva
16/04 11:02

A primeira-dama de Uruburetama, Graça Paiva, já foi prefeita do Município e fez todas as maracutaias possíveis que estavam ao seu alcance. Ela foi condenado em primeira instância a 17 anos de prisão. Mas, para o desespero da população, o processo está na segunda instância desde 2016, na 3ª Câmara Criminal, com o desembargador Antônio Pádua, e nada é feito.

Veja 

Em tempo

Os advogado de Graça Paiva dizem em Uruburetama que têm bom acesso com o desembargador. Eles garantem que o magistrado sentará no processo até prescrever.

Mulher danada

Na condenação, Graça responde por um rosário de crimes. Saiba de alguns: apropriação indébita previdenciária, dispensa de licitação fora do que é previsto por lei e apropriação de coisa alheia móvel.

Esposa do taradão

Graça Paiva é conhecida em Uruburetama por defender os assédios sexuais e estupros praticados pelo marido. Ela chegou a ameaçar as vítimas e a arquitetar plano para acabar com a vida de um opositor que divulga todos os crimes do prefeito Dr. Hilson — médico ginecologista que usava consultórios públicos e privados do Município para praticar suas monstruosidades.

Confira a condenação de Graça Paiva



*Publicidade

Publicidade


Leia Também

Links Patrocinados