Sete dias da semana sem medo da notícia

Prefeitura de Tauá é alvo de ação policial e do MP no combate ao desvio de verba
Policiais civis e militares cumprem mandados de busca e apreensão na Prefeitura, na residência do prefeito Carlos Windson Mota e noutros endereços. Ministério Público busca provas do desvio de verbas através de fraudes em licitações
Avelange e Carlos Windson
Por: Fernando Ribeiro
07/06 8:34

Uma operação conjunta do Ministério Público do Estado do Ceará (MPCE) e da Polícia Civil está sendo realizada na manhã desta quinta-feira (7), no Município de Tauá, na Região dos Inhamuns (a 337 km de Fortaleza). O objetivo é o cumprimento de ordens judiciais com mandados de busca e apreensão em órgãos públicos, como a Prefeitura Municipal e secretarias, além de residências de gestores e servidores investigados.

A ação começou por volta de 6h, como determina a lei, e reúne equipes das polícias Civil e Militar, com o  acompanhamento do Ministério Público através do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) e da Procuradoria dos Crimes Contra a Administração Pública (Procap).  O cumprimento dos mandados de busca e apreensão visa o recolhimento de documentos, computadores e outros materiais que possam servir de prova nas investigações que apuram desvio de verbas públicas.  Entre os endereços “alvos” da operação está a sede da prefeitura e a própria residência do prefeito, Carlos Windson Mota.

Outro importante alvo da operação é a Comissão de Licitação da Prefeitura Municipal de Tauá, instalada na sede da Prefeitura de Tauá. Os investigadores cumpriram mandados de busca em, pelo menos, dois endereços além de prédios públicos. Um deles foi a casa do irmão do prefeito Carlos Windson  Mota, Avelange Cavalcante Mota. Outro endereço “visitado” pelos agentes foi a residência do motorista do prefeito, identificado como Beto Mota.

Investigação

Também foram entraram na rota as residências de Gertrudes Mota, cunhada do prefeito e atual secretária de Educação do Município; e de Sulanir Alves, atual chefe de gabinete do prefeito.

O Ministério Público ainda não confirmou se há mandados de prisão para os investigados.

As investigações em Tauá foram iniciadas ainda no começo do ano e apontam para irregularidades em processos licitatórios para fins de desvio de dinheiro público.  Denúncias sobre o caso foram feitas na Câmara Municipal de Tauá e por entidades classistas do Município.

Confira as fotos



*Publicidade

Publicidade


Leia Também

Links Patrocinados