Sete dias da semana sem medo da notícia

Policiais civis ficam de fora da convocação para Curso de Inteligência no Ceará
Turma convocada pela Secretaria da Segurança Pública para o curso não tem um só integrante da instituição responsável pela investigação de crimes. O fato causou estranheza e indignação de delegados, inspetores e escrivães
29/03 10:41

A Polícia Civil do Ceará sofreu mais um ato de desprestígio junto à atual gestão da Secretaria da Segurança Pública. Os integrantes da instituição ficaram de fora da convocação para a realização de um Curso de Inteligência que deverá ser realizado numa parceria da SSPDS com o Ministério Público Estadual (MPE).

O secretário da Segurança, delegado federal André Costa, não deu explicações para o fato. Na lista dos servidores da pasta convocados para a primeira turma do curso só figuram integrantes da Polícia Militar.

O ato causou mais um mal-estar e constrangimento entre delegados, escrivães e inspetores, já que são eles os responsáveis pelo trabalho de investigação criminal, atividade privativa da Polícia Judiciária conforme o que prevê a Constituição Federal no seu artigo 144, que trata das atribuições das forças da Segurança Pública.

O trabalho de Inteligência é a base para o esclarecimento de crimes, desarticulação de grupos ou organizações criminosas como quadrilhas ou facções ligadas ao narcotráfico, contrabando, seqüestros e outras atividades ilícitas.  São demandas da Segurança Pública cujas atividades são privativas da Polícia Judiciária, no caro dos estados, as polícias civis.

Desprestígio

Policiais civis têm denunciado constantemente o desprestígio da instituição junto ao governo do estado. Mais de 80 delegacias do Interior permanecem sem plantões nos fins de semanas ou feriados por conta da falta de efetivo. Já a Inteligência, vem sendo esvaziada, trazendo sérios prejuízos para o combate ao avanço da criminalidade no estado.

Confira o documento



*Publicidade

Publicidade


Leia Também

Links Patrocinados