SETE DIAS DA SEMANA SEM MEDO DA NOTÍCIA!

26/09/2016 14:40Hs

QUATRO DETIDOS

Operação do MPCE e SSPDS prende suspeitos de fraude em concurso da Polícia Militar

“Não acreditamos que tenha ocorrido vazamento do gabarito e não há, por enquanto, a necessidade de solicitar a anulação do concurso"

Operação do MPCE e SSPDS prende suspeitos de fraude em concurso da Polícia Militar

O Ministério Público do Estado do Ceará, por meio do Grupo de Atuação Especial de Combate às Organizações Criminosas (GAECO) e do Núcleo de Investigação Criminal (NUINC), em parceria com a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social do Estado do Ceará (SSPDS) realizou no último domingo (25/09), durante prova do concurso público da Polícia Militar, uma operação para prender suspeitos de fraudes.

Quatro pessoas foram detidas na ação, mas, segundo o coordenador em exercício do NUINC, o promotor de justiça Gomes Câmara, novas informações poderão ser divulgadas durante esta semana. “Não acreditamos que tenha ocorrido vazamento do gabarito e não há, por enquanto, a necessidade de solicitar a anulação do concurso porque os envolvidos já foram identificados. Estamos monitorando outros suspeitos e provavelmente teremos mais informações no decorrer da semana”, informou.

De acordo com o coordenador do GAECO, o promotor de Justiça Manoel Epaminondas, a SSPDS foi informada da possibilidade de fraude no concurso do Ceará, envolvendo pessoas que já haviam tentado a mesma ilegalidade no Estado do Piauí, mas também sem sucesso. “Tomamos as medidas judiciais e de campo para que essa tentativa de fraude fosse apurada previamente e tratada no dia da operação. No dia da prova, deflagramos a operação para prender os que já haviam sido identificados. Da mesma forma como foi no Piauí, os suspeitos não lograram êxito no concurso, foram presos em flagrante”, complementou.

Segundo os promotores, a captação de potenciais “clientes” e as negociações foram feitas por meio das redes sociais. Três dos suspeitos eram candidatos e um faz parte do grupo criminoso. O golpe seria aplicado com a participação de uma pessoa com capacidade técnica pra acertar as questões da prova que, responderia as questões e passaria o gabarito para os “clientes”, através de um terceiro que estaria fora da sala de prova, monitorando e passando para os aparelhos eletrônicos que foram apreendidos com candidatos que estavam fazendo a prova.

Com o apoio de delegados da SSPDS equipes da Polícia Civil monitoraram diversos locais de prova durante a realização do concurso, observando os suspeitos e identificando outras pessoas envolvidas. Além das prisões, diversos materiais eletrônicos foram aprendidos. O concurso da Polícia Militar ofertou 4.200 vagas para soldado da PM, com remuneração inicial de R$ 3.134,58, e foram recebidas inscrições de 80.450 candidatos.