Sete dias da semana sem medo da notícia

Mestres de Cultura são reconhecidos como os primeiros Museus Orgânicos no Brasil
Projeto traz 16 museus e será lançado na inauguração do primeiro espaço em Potengi
Cariri, CE, BRASIL, 13-06-2013: Ensaio nas cidades de Potengi e Nova Olinda CE, material para o livro terra de cabinhas (Foto: Samuel Macedo) Projeto Infancias***
14/09 18:42

O Museu é um espaço que conserva, difunde e expõe os testemunhos materiais do homem e de seu entorno, para educação e apreciação da sociedade, é o que diz o Conselho Internacional de Museus (International Council of Museums). Com base na definição clássica difundida na atualidade e ao mesmo tempo inovando para colaborar ainda mais com as formas de expressividade humana, o Sistema Fecomércio – CE, por meio do seu braço social, o Sesc*, reconhece um novo tipo de Museu permeado pela organicidade.

Um território vivo de cultura popular, alinhado pela preservação de memórias com desígnios de arquitetura da afetividade são algumas das características que denotam os espaços chamados de Museus Orgânicos dos Mestres de Cultura Tradicional do Cariri, projeto lançado no dia18/9, a partir das 16h, junto com a inauguração do “Museu Orgânico Casa do Mestre Antônio Luíz”, na cidade cearense de Potengi, no Sítio Sassaré.

Em contraste com as tradicionais instituições que usam peças extraídas para serem organizadas num espaço diferente do originário, nos Museus Orgânicos os visitantes vivenciam uma experiência ímpar. Isso porque na própria residência dos mestres de cultura é desenvolvido um acervo vivo, onde é possível interagir e até mesmo prosear com anfitrião para conhecer a manifestação da sua arte e entender sobre seu saber.

Com o reconhecimento dos museus orgânicos, as casas dos mestres da cultura tradicional são aprimoradas como lugares de memória para o fortalecimento das raízes culturais, preservando a história, a memória, a sabedoria dos ícones da cultura de tradição. No Museu Orgânico Casa do Mestre Antônio Luíz, todo o acervo é disposto, seja de vestimentas, fotografias, instrumentos e tudo que contribuiu para a criação do seu grupo Reisado de Caretas de Couro, de Potengi, com a tradição cultural das Máscaras.

Sobre o Mestre Antônio Luiz e o Grupo Reis de Couro

Filho de Luiz Gonzaga de Souza e Neuza Francisca de Souza, Antônio Luiz de Souza, o Mestre Antônio Luiz nasceu em Potengi, em 1957, cidade em que mora até hoje. Aos 61 anos de idade, é referência como Mestre de Cultura, idealizador e brincante do Reisado de Máscaras, no Sítio de Sassaré, em Potengi, região do Cariri.

O gosto pela prática da cultura de tradição começou quando era menino e ouvia as histórias de sua avó como brincante de reisado pela longínqua década de 1930. O Mestre Luiz Antônio integrou o primeiro reisado ainda jovem na região como brincante. Com o tempo tornou-se o mestre do mesmo grupo, o Reisado de Caretas de Couro, que brincava desde 1975, o qual comanda há mais de 30 anos.

O grupo o qual ele está à frente traz referências diferenciadas em relação a outros reisados, como o Velho Bacurau e a Velha Quitéra, acompanhadas pelos caretas, um boi, um urubu, uma burrinha, um jegue, um cavalo, um carneiro e uma ema. O enredo se dá por meio de sons e ruídos produzidos pelos personagens e brincantes, construindo uma linguagem própria do grupo, que pelo uso das caretas de madeira de “mulugum” (árvore nativa da região), contribui para que os sons entoados se caracterizem como uma melodia peculiar no universo dos reisados.

Confira:

Sobre o projeto e o Sesc

O projeto nasceu com o amadurecimento da parceira com a Fundação Casa Grande, localizada na cidade de Nova Olinda, para o fortalecimento de uma rede formada por lugares de memória, sendo o Sesc um ativador desses espaços.

Assim como a casa do Mestre Antônio Luiz, os demais museus orgânicos que integram o projeto passam por pesquisa e estudo consistentes a respeito de cada tradição cultural, suas referências coletivas e o impacto na comunidade. Deste modo, são organizados os espaços com os acervos de vestimentas, fotografias e instrumentos utilizados pelos Mestres e seus brincantes, dentro da perspectiva de arquitetura do afeto e memória afetiva. As intervenções durante o desenvolvimento do Museu Orgânico foram realizadas de maneira colaborativa da equipe do Sesc Ceará junto ao acompanhamento do Mestre e de sua família.

Para selecionar os Mestres, o Sesc Ceará foi a campo para visitar espaço a espaço com o intuito de entender suas histórias e a sua importância enquanto patrimônio imaterial. Até 2019, o Sesc Ceará fará a implementação de todos os 16 museus integrantes do projeto.

Programação

16h
Recepção do público com Grupo Bacamarteiros da Paz

16h45
Apresentação do Reisado Discípulos do Mestre Pedro

17h
Início da cerimônia de inauguração do Museu

17h30
Visitação ao Museu Orgânico Casa do Mestre Antônio Luíz

18h
Reisado de Caretas de Couro (Mestre Antônio Luiz)



*Publicidade

Publicidade


Leia Também

Links Patrocinados