Sete dias da semana sem medo da notícia

Justiça dos EUA condena ex-presidente da CBF a quatro anos de prisão
José Maria Marín foi condenado por conspiração para organização criminosa, fraude financeira na Copa América, Libertadores e Copa do Brasil e lavagem de dinheiro.
22/08 16:48

O ex-presidente da CBF José Maria Marin foi condenado, nesta quarta-feira (22), a quatro anos de prisão e ao pagamento de multa de 1,2 milhão de dólares (4,9 milhões de reais) por conspiração para organização criminosa, fraude financeira na Copa América, Libertadores e Copa do Brasil, além de lavagem de dinheiro.

A sentença foi da lavra da juíza Pamela Chen, da corte federal do Brooklyn, nos Estados Unidos, que também anunciou o confisco de 3,3 milhões de dólares (13,4 milhões de reais) de bens de Marin, de 86 anos.

A acusação queria dez anos de prisão e multa de 6,6 milhões de dólares (26,9 milhões de reias), alegando que Marin causou prejuízo de 150 milhões de dólares (611 milhões de reais) por seus atos. Os advogados de Marin pediam pena mínima de treze meses de prisão por causa de sua idade – justamente o período em que Marin ficou detido na Suíça e em prisão domiciliar nos EUA. Esse período não será descontado na punição.

Os advogados do ex-presidente da CBF vão recorrer à Corte de Apelação da decisão da corte de Nova York, ao mesmo tempo em que pretendem pedir que o condenado aguarde o recurso em prisão domiciliar.



*Publicidade

Publicidade


Leia Também

Links Patrocinados