Sete dias da semana sem medo da notícia

Dia das Mães movimentará R$ 257 milhões no comércio de Fortaleza, aponta Fecomércio


query_builder

Os consumidores de Fortaleza devem movimentar cerca de R$ 257 milhões no comércio local com a compra de presentes. O valor é 4,9% superior ao de 2017, quando o impacto estimado foi de R$ 245 milhões. Os dados fazem parte da pesquisa sobre o Potencial de Consumo do Fortalezense para o Dia das Mães, realizada pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Ceará.

O levantamento mostra ainda que 61% dos entrevistados darão prioridade aos artigos de vestuário, perfumaria, calçados e bolsas, flores, utensílios domésticos e joias e bijuterias.

Vestuário lidera preferência do consumidor

A preferência dos consumidores mostra-se concentrada em seis produtos principais que, juntos, respondem por 90,6% das intenções de compra, com preponderância dos bens de uso pessoal:

Artigos de vestuário: citados por 36,2% dos entrevistados lideram em todos os estratos analisados pela pesquisa, sendo mais relevante para as mulheres (38,4% de intenção de compra), do grupo etário com idade até 20 anos (42,4%) e de renda familiar superior a seis salários mínimos (39,9%);

Itens de perfumaria: com 25,7% de intenção de compra, é preferido pelas mulheres (29,1%), dos consumidores com idade entre 21 e 35 anos (31,3%) e do grupo com renda familiar entre três e seis salários mínimos (26,8%);

Sapatos, cintos e bolsas: com 10,4% de intenção de compra, serão mais procurados por consumidores do sexo masculino (13,1%), do grupo com idade de até 20 anos (11,3%) e renda familiar mensal acima de seis salários mínimos (17,1%);

Flores: com 6,7% de intenção de compra, igualmente distribuído entre consumidores homens e mulheres (6,8% de intenção de compra para os homens e 6,6% para as mulheres), com preponderância do grupo com idade acima dos 36 anos (11,0%) e renda familiar de até três salários mínimos;

Utensílios domésticos: com 6,0% de intenção de compra, possui preferência destacada entre o público masculino (6,8%), do estrato com idade até 20 anos (7,8%) e renda média familiar superior a seis salários mínimos (8,5%); e

Joias e bijuterias: com 5,6% de intenção de compra, com maior demanda pelas mulheres (5,8%), do grupo com idade acima dos 36 anos (7,9%) e renda familiar entre três e seis salários mínimos (9,0%).