Sete dias da semana sem medo da notícia

Correios afirma que material radioativo foi retirado de local do incêndio
Uma equipe da Comissão Nacional de Energia Nuclear foi enviada ao local e retirou o equipamento utilizado para encontrar conteúdos ilícitos nas cargas postais
O incêndio ocorreu na tarde de terça-feira de Carnaval e destruiu galpões
01/03 19:32

O Correios esclareceu, nesta quinta-feira (1º), através de uma nota, que o equipamento de detecção e identificação de encomendas, que possui fonte radioativa de níquel 63 “de baixa atividade e nenhum risco de contaminação”, já foi retirado do Centro de Triagem de Cartas e Encomendas (CTCE Fortaleza), alvo de incêndio no último dia 13.

Inicialmente, o Correios afirma ter isolado a área e informado à CNEN sobre o ocorrido. A Comissão enviou uma equipe de técnicos ao local para analisar a situação e retirar o material. O equipamento era utilizado para encontrar conteúdos proibidos e ilícitos. A empresa afirma ainda que segue aguardando a conclusão da perícia feita pela Polícia Federal para identificar as causas do acidente e, em paralelo, realiza o levantamento da carga postal atingida.

A Polícia Civil investiga se o incêndio foi causado por facções criminosas para destruir o equipamento, que poderia encontrar o materiais ilícitos traficados pela

Confira na íntegra:

Os Correios esclarecem que o Centro de Triagem de Cartas e Encomendas (CTCE Fortaleza), onde ocorreu o incidente no dia 13/2, possuía um equipamento de detecção e identificação de encomendas, utilizado para encontrar objetos com conteúdos proibidos e ilícitos. Este aparelho possui uma fonte radioativa de níquel 63, de baixa atividade e nenhum risco de contaminação.

Após o incêndio, a empresa adotou as providências necessárias, como o isolamento da área em que se localizava o equipamento. Também foi realizado contato direto com a Comissão Nacional de Energia Nuclear (CNEN). Após o informe da situação à autarquia federal, foi realizada, no dia 14/2, a visita de técnicos da CNEN às instalações da empresa para monitorar a radiação, avaliar as condições de risco da unidade e confirmar a localização da referida fonte.

Após a visita técnica, o equipamento foi retirado do local pela equipe da CNEN. Os procedimentos foram realizados segundo os protocolos de emergência radiológica da Comissão, visando à segurança de todos os envolvidos e também da vizinhança no entorno do prédio.

A empresa ainda aguarda a conclusão da perícia feita pela Polícia Federal para identificar as causas do incêndio e em paralelo está realizando o levantamento da carga postal atingida. Em relação à origem das chamas que atingiram o CTCE Fortaleza, os Correios reiteram que é prematuro especular quais foram as possíveis causas. Somente o resultado das investigações poderá trazer as respostas.



*Publicidade

Publicidade


Leia Também

Links Patrocinados