Sete dias da semana sem medo da notícia

Ano começa com fuga coletiva de presos e domínio de facções no Sistema Penitenciário
No Complexo Penitenciário de Itaitinga, na Grande Fortaleza, as fugas viraram uma perigosa rotina e Secretaria da Justiça e da Cidadania sequer sabe quantos detentos escaparam da CPPL 3 na madrugada da última Quarta-feira
A Sejus está fazendo a recontagem de presos para saber quantos fugiram da CPPL 3
query_builder

Superlotado, inseguro, sem controle. Assim é o atual quadro em que se encontra o Sistema Penitenciário do Ceará. Com cerca de 29 mil presos, está “inchado” e corroído pelas facções criminosas, que dão as ordem e implantam um poder paralelo dentro do próprio Estado.  E 2018  começa tão turbulento quando foi 2017 nas principais unidades carcerárias locais, a maioria instalada no complexo construído em Itaitinga, na Região Metropolitana de Fortaleza (RMF).  Uma fuga coletiva na Casa de Privação Provisória da Liberdade Professor Jucá Neto, a CPPL 3, na madrugada da última quarta-feira (17), bem demonstra como estão os ânimos dos milhares de presos confinados nesses verdadeiros depósitos de presos. A ordem é fugir.

FARRA CONTINUA

Os presos que escaparam da CPPL 3 são ligados à facção criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC), pois o presídio foi destinado para ela dentro do “fatiamento” que foi feito pelo governo no ano passado. Cada facção tem sua própria cadeia e lá ela manda. Assim como o Comando Vermelho está na CPPL 1 e no Presídio do Carrapicho, a GDE (Guardiões do Estado) ocupa a CPPL 2. Cada um no seu quadrado e o governo dizendo amém aos chefões do tráfico. É de lá, das cadeias, que partem as ordens para a matança sem controle que ocorre nas ruas e favelas das cidades. É de lá também que parte o planejamento dos assaltos a bancos e carros-fortes. E também é de lá que são controlados os negócios do comércio de drogas.  Sem o bloqueio do sinal de celulares, os grupos criminosos fazem a festa e não estão nem um pouco preocupados em serem flagrados ou não pela vigilância interna das CPPLs da vida.

INTERVENÇÃO ESPERADA

A proposta de intervenção federal no Ceará, que antes parecia bem longe da realidade, está ganhando corpo e já virou assunto na mídia nacional. Com a incrível marca histórica de 5.144 assassinatos em 2017 (a SSPDS diz que foram 5.134), o estado está na pauta das principais redes de TV e jornais do País. E a situação foi agravada com o triste episódio da expulsão de dezenas de famílias de suas casas, na periferia de Fortaleza, pelos traficantes que comandam células das facções Guardiões do Estado (GDE) e Comando Vermelho (CV). São as duas as responsáveis pela “guerra” que se estende por ruas, avenidas, becos e favelas da Grande Fortaleza e que já deixou nos primeiros 17 dias de janeiro de 2018, nada menos, que 292 cadáveres (assassinatos). O Conselho Estadual da Segurança Pública aguarda do secretário da Segurança, delegado federal André Costa, a apresentação do plano de segurança para 2018. Quer saber qual a estratégia que o governo pretende montar e executar para diminuir os altos índices de Crimes Violentos, Letais e Intencionais (CVLIs) no Ceará.

QUEM PAGARÁ A CONTA ???

Informações extra-oficiais dão conta de que os membros do Conselho Estadual da Segurança Pública vão querer também que o governo explique a história de ter contratado especialistas da organização não-governamental Fórum Nacional de Segurança Pública, pela bagatela de R$ 10 milhões, para elaborar o plano de Segurança que será mostrado pelo governador Camilo Santana (PT). Esse plano estaria baseado no que foi colocado nas páginas de três livros publicados e distribuídos pelo governo. São três publicações como os seguintes títulos: “1- Experiências Exitosas de Enfrentamento à Violência e à Criminalidade (Análise de Benchmarking)”, “2-O Cenário da Violência e da Criminalidade no Brasil e no Ceará (Análise Comparativa)” e “3-Ceará Pacífico em Ação (Matriz de Acompanhamento)”. Os três livros trazem a chancela de Camilo Santana e da vice-governadora e coordenadora do Programa “Ceará Pacífico”, professora Izolda Cela de Arruda Coelho. O que chama a atenção é que de conteúdo novo o trabalho não traz absolutamente nada.  E os R$ 10 milhões?

ASSALTOS: A CULPA É DOS BANCOS?

A Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) publicou no seu site a seguinte proeza: “A SSPDS vem desenvolvendo ações de combate a esse tipo de crime com uma dinâmica contínua (???) integrando inteligência, com foco na identificação de integrantes e prender os suspeitos”. Tudo isso para dizer que em 2017 o número de ataques a bancos no estado sofreu uma redução de 10 por cento em comparação a 2016. Informa também que no ano passado a Polícia registrou 56 casos, enquanto no ano anterior foram 62. Já o secretário André Costa repassa para as instituições bancárias a responsabilidade pelo incremento de maior segurança nas agências. “Uma ação importante dos bancos que resolveria e acabaria com esse tipo de conduta seria a instalação de dispositivos em todos os caixas eletrônicos que, ao ocorrer uma violação, as cédulas seriam automaticamente destruídas. Isso resolveria de maneira definitiva os assaltos bancos”.

MORTES CAEM NAS ESTRADAS

A Polícia Rodoviária Federal traz para os cearenses uma boa notícia para o Ceará neste começo do ano.  Segundo o órgão, caiu em 14,7 por cento o número de acidentes com mortes nas rodovias federais que cortam o estado, na comparação entre 2016 e 2017. No ano passado, foram 190 óbitos, contra 223 do período anterior. São números ainda preocupantes, reconhece a instituição, mas revela que as ações  de fiscalização têm dado resultados positivos, embora que reduzidas em relação a 2017. Neste cenário, a BR-116, no seu trecho urbano, ainda é a via com maiores índices de acidentes letais.  No trecho entre os quilômetros zero e 11,8 aconteceram no ano passado, nada menos que 175 acidentes. O alto fluxo é uma das causas de tantos sinistros.  Aumentou também o número de prisões nas BRs. Em 2017 foram 564, contra 484 em 2016.  Prova que os policiais rodoviários federais estão atentos.

GROAÍRAS PEDE SOCORRO

Um município com apenas 20 mil habitantes e que era considerado calmíssimo, mas, agora, se transformou diante do cenário da violência que atinge todo o estado do Ceará. Groaíras fica a apenas 246 quilômetros de Fortaleza e pouco mais de 20 da cidade de Sobral. No entanto, nos últimos meses a bandidagem tem feito a festa ali. Assaltos são registrados com freqüência, para não dizer, diariamente. Um dos principais alvos dos ladrões são as topiques que transportam os cidadãos, todas as manhãs, para Sobral. Mas há também os roubos nas ruas e os arrombamentos (furtos) nos estabelecimentos comerciais. O prefeito de lá, Wellington Vasconcelos, já esteve Fortaleza em busca de providências. Foi recebido em audiência pelo secretário André Costa. Mas não teve jeito. A situação continua a mesma e são apenas quatro policiais para guarnecer o Município. A população pede socorro.

E TEM MAIS !!!

* E a matança de mulheres do Ceará prossegue sem trégua. Na noite de quarta-feira, uma jovem de 22 anos foi morta, a tiros, na cidade de Canindé. O crime ocorreu a poucos metros de um local de peregrinação religiosa, a gruta da Basílica de São Francisco.

* Taciana Araújo de Sousa, 22 anos, acabou se transformando na vigésima (20ª) mulher morta neste ano que mal começou. Em 17 dias, 20 execuções do gênero. E as estatísticas só tendem a aumentar, já que, cada vez mais, jovens estão envolvidas em grupos criminosos.

* População de Fortim ficou chocada com a chacina ocorrida na madrugada de quinta-feira passada. Três homens foram mortos. Os corpos apresentavam marcas de tiros e as vítimas estavam algemadas.  Há suspeitas de que as vítimas tenham sido seqüestradas em outro lugar.

* A prisão de uma agente penitenciária e três servidores administrativos em uma das Casas de Privação Provisória da Liberdade, do Completo Penitenciário de Itaitinga, na RMF, pode descortinar uma investigar maior  o grave problema de entrada de celulares nos presídios.

 

 

 







Segurança Pública do Ceará tenta se reerguer após o desastre da violência em 2017
Conselho Estadual de Segurança Pública e outros organismos agora cobram do governador Camilo Santana a apresentação de um plano de Segurança para conter a criminalidade sem controle no estado, onde 5.134 pessoas foram assassinadas em 2017
Camilo Santana reforçou o efetivo da PM para tetar reverter o fracasso de 2017 na Segurança Pública
query_builder

Finalmente, na sexta-feira à tarde (12), a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) reuniu a Imprensa para a divulgação dos números oficiais da criminalidade no passado. Como já era do conhecimento da população, o ano de 2017 marcou um recorde no número de assassinatos no estado. Pelas contas da SSPDS, foram 5.134 pessoas mortas, o que representou uma elevação da ordem de 50,7 por cento em comparação a 2016. Passado o terremoto, cabe agora às autoridades “juntar os cacos” do que sobrou de bom na Segurança Pública (se é que tem) e planejar as estratégias para reduzir a violência no estado.

CONSELHO VAI COBRAR

E coube ao Conselho Estadual da Segurança Pública (Consesp) o papel de primeiro exigir do governo do estado explicações sobre o que está havendo no setor e cobrar a apresentação de um plano estadual de segurança para 2018. Há duas semanas, o colegiado, que reúne representantes de vários órgãos públicos e da sociedade civil, cogitou a remessa à Presidência da republico de um pedido de decretação de intervenção federal no Ceará para o restabelecimento da ordem pública. A reação surpreendente veio do secretário que comanda a Pasta da Segurança. André Costa, titular da SSPDS, declarou na Imprensa e nas redes sociais ser a favor da intervenção. E mais, que ela se estenda por todo o País. Desse modo, está afinado com o discurso do seu chefe, o governador Camilo Santana (PT), que tenta empurrar para o Governo Federal o fracasso na sua política de Segurança Pública para o Ceará. Os dois – Camilo e André – afirmam que a culpa pela violência no País  reside em Brasília.

AINDA É POUCO

Uma nova turma de candidatos aprovados no concurso para os cargos de delegados, escrivães e inspetores ingressa nos bancos da Academia Estadual da Segurança Pública para iniciar o curso de formação profissional. Foram convocados pelo estado cerca de 730 candidatos que agora passarão alguns meses na preparação. O número é longe de ser o ideal para a demanda atual da Polícia Judiciária cearense.  Mais de 90 delegacias do Interior do estado estão de portas fechadas por falta de profissional – especialmente delegados.  Das 20 delegacias regionais do Interior, somente 11 funcionam em esquema de plantão 24 horas. De 20 Delegacias de Defesa da Mulher que deveriam existir do estado (em todos os Municípios com população a partir de 50 mil habitantes) foram implantadas até agora somente 10.  Dos 35 Distritos Policiais (DPs) da Grande Fortaleza, apenas 10 tiram plantão noturno e nos fins de semana. Como se percebe, a insuficiência de efetivo e a carga de trabalho para as delegacias existentes e em funcionamento exigem maior investimento do estado.

QUEM TEM RAZÃO ???

Foi aberta a temporada de conflito entre as duas forças policiais estaduais no Ceará: PM e Polícia Civil. O motivo desta peleja é a autorização que alguns juízes de Direito de comarcas do Interior estão dando para que a Polícia Militar realize os Termos Circunstanciados de Ocorrência, procedimento que substitui a prisão em flagrante em crimes punidos pela Lei em até dois anos de prisão. São os chamados crimes de menor potencial ofensivo. Com esta autorização, os PMs não precisam conduzir os presos em tal situação para as delegacias. Nos quartéis mesmo ele lavram o TCO. Quem não gostou nem aprova isto é a Polícia Civil, que sustenta ser um procedimento exclusivo de sua competência legal.  Na cidade de Camocim, no litoral Norte do estado, o delegado regional abriu inquérito contra quatro PMs que teriam feito um TCO. O delegado entendeu que a situação era para flagrante e, agora, os  militares serão processados por crimes de prevaricação e usurpação de função. A briga vai ser feia entre as duas categorias. Mas nas vias judiciais.

SENADOR POMPEU REAGE

Em Senador Pompeu, no Sertão Central (a 273Km de Fortaleza), a Polícia voltou a fazer uma grande operação de caça a criminosos. Isso porque bandidos atiraram na porta do Fórum da cidade e deixaram um bilhete exigindo que um comparsa preso fosse transferido da Cadeia Pública de lá para outro local. Ao  tomar conhecimento do fato, o prefeito Maurício Pinheiro (PDT),  que é policial civil e acostumado sair à procura de bandidos, reuniu as forças amigas: Polícia Civil, PM, Judiciário e Ministério Pública. Ontem mesmo foi iniciada uma nova operação para capturar os responsáveis pelo atentado ao fórum.  No ano passado, a primeira grande operação naquela cidade resultou na desarticulação de uma quadrilha ligada ao tráfico de drogas. O resultado foi animador e o Município reduziu drasticamente os índices de violência e zeraram os casos de homicídios. Para não deixar a coisa volta ao que era, Pinheiro e as autoridades policiais deram logo uma resposta ao crime e iniciaram a reação à bandidagem.  Lá não há espaço para o crime.

PAPEL DO MUNICÍPIO

Na primeira reunião formal do Conselho Municipal de Proteção Cidadã, realizada na manhã da última sexta-feira (12), no Paço Municipal, o prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio (PT), mas uma vez reafirmou o compromisso do Município com a questão da Segurança Pública. Diante de todo o secretariado municipal e de representantes do Judiciário, Ministério Público e das forças policiais, ressaltou a contribuição que a prefeitura dará ao estado na prevenção à criminalidade. Antes de sair de férias, ele ressaltou a importância do Plano Municipal de Proteção Urbana (PMPU), que entrará em atividades ainda neste mês. Torres de segurança  estão sendo erguidas nos bairros Jangurussu e Barra do Ceará (comunidade Goiabeiras) para fazer a vigilância dos bairros. Policiais militares (neo soldados) e guardas municipais estão em treinamento para atuarem, conjuntamente, na prevenção e repressão ao crime nos bairros mais violentos da cidade.

CORTARAM AS ASAS

“Fica vedado aos pilotos realizarem varredura sobre matagais em busca de suspeitos armados. Para esta finalidade o piloto deverá solicitar apoio de equipes de terra. Caso não haja esse apoio, a missão deverá ser abortada”.  Foram determinações assim que geraram uma polêmica em torno das atividades da Coordenadoria Integrada de Operações Aéreas (Ciopaer), através de uma circular interna (CI) assinada pelo coordenador daquele órgão, delegado de Polícia Civil, Aristóteles Tavares Leite.  O documento é de 15 de dezembro último e, desde então, as operações das aeronaves da Ciopaer estão restritas. A polêmica acontece no momento em que o governo do estado alardeia a aquisição de duas novas aeronaves para o órgão. Cada um deles custando cerca de R$ 42 milhões. De dentro da Ciopaer houve um manifesto de desagrado dos tripulantes pelas restrições imposta ao trabalho deles pelo coordenador. A Assessoria do órgão contesta as denúncias. Diz que apenas foram normatizadas as regras de segurança que já eram praticadas pelos pilotos dos  “Fênix”.

 E TEM MAIS!!!

* A Polícia Federal está supervisionando o treinamento de tiro que está sendo dado aos guardas municipais que irão atuar nas torres de segurança em Fortaleza. O superintendente do órgão, delegado Delano Cerqueira Bunn, tem prestado apoio irrestrito ao colega Moroni Torgan, que coordena o Plano Municipal de Proteção Urbana (PMPU).

* O número de assassinatos de mulheres não para de crescer. Em apenas 16 dias de janeiro de 2018, já foram 18 casos. A maioria dos crimes tem relação sim, com a “guerra” das facções criminosas Guardiões do Estado (GDE) e Comando Vermelho (CV) nas favelas da periferia de Fortaleza.

* Correição realizada pela Controladoria Geral de Disciplina nas dependências da Divisão de Combate ao Tráfico de Drogas (DCTD) não encontrou nenhuma irregularidade. A denúncia de retirada de peças de veículos apreendidos não foi comprovada. A DCTD passa por reestruturação.

* Um candidato reprovado no concurso para soldado da PM obteve da Justiça a ordem para ser nomeado mesmo tendo sido comprovado que ele já havia sido preso por vários crimes. A ordem judicial causou indignação na tropa e no Comando da PM, mas teve que ser devidamente acatada.

* Aumentou o efetivo de policiais militares no Pré-Carnaval de Fortaleza neste ano em comparação a 2017. A chegada de novos soldados permitiu esse acréscimo. As duas rotas de desfile dos blocos (avenidas Historiador Raimundo Girão e Rua João Cordeiro) estão bem policiadas e seguras.

* Dois policiais militares foram detidos e conduzidos à sede da Controladoria Geral de Disciplina dos Órgãos da Segurança Pública e do Sistema Penitenciário. Na sexta-feira passada (12),  foram flagrados praticando uma suposta extorsão contra traficantes na comunidade “Babilônia”, no Barroso.

 

 

 

 

 

 

 







Poder paralelo do crime segue a pleno vapor desafiando o Estado e ordenando matança
Chefes das facções criminosas ordenam de dentro das celas dos presídios as execuções nas ruas
query_builder

O ano de 2018 começou mal para a Segurança Pública no Ceará. Depois de amargar um recorde de assassinatos, em 2017, com exatos 5.144 homicídios, latrocínios e lesões corporais seguidas de morte, janeiro apresentou, em seus primeiros dias, uma média de 19  CVLIs/dia, enquanto no ano passado esse índice ficou em 14.  Certo que ainda é prematuro para qualquer avaliação, mas é fato que a matança produzida pela guerra entre as facções criminosas parece estar longe do fim ou, ao menos, de uma trégua ao Estado. Nos primeiros 10 dias de 2018, 196 pessoas foram assassinadas no ceará, sendo os crimes distribuídos da seguinte forma: Capital 65 assassinatos, Região Metropolitana de Fortaleza 54, Interior Norte 36 e Interior Sul 41 crimes. Constata-se de pronto que a guerra das facções é mais concentrada em Fortaleza. A periferia da cidade é palco diário de execuções sumárias e de crimes praticados com requintes de selvageria. Para os assassinos, não basta matar, tem que esquartejar, decapitar ou incendiar os corpo de suas vítimas. Assim, a “nossa “barbárie do dia a dia” prossegue a pleno vapor, desafiando o Estado e o governo e se tornando um poder paralelo.

ESPERANDO O QUÊ???

Dez dias após a virada do ano, a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) ainda não deu o “ar de sua graça” para revelar para a sociedade – formalmente – a tragédia da violência em 2017. Com 5.144 assassinatos, o Ceará certamente vai está no topo do mapa da Violência a ser divulgado neste ano, provavelmente em segundo lugar, ficando tão somente atrás do estado de Pernambuco. A julgar pelo que já ocorreu nos últimos meses, a SSPDS tenta retardar o máximo possível a divulgação dos números dos Crimes Violentos, Letais e Intencionais (CVLIs) para somente divulgá-los juntamente com o anúncio de mais algum investimento no setor, como compra de viaturas, helicóptero ou coisa que o valha, numa forma de tentar desviar a atenção da sociedade e redirecionar a pauta da Imprensa que cobre o setor. Tem sido assim nos últimos meses. Só não se sabe o que os “estatísticos” da SSPDS estão esperando para divulgar os números da catástrofe.

SEGURANÇA NA FOLIA

A Polícia Militar do Ceará (PM-CE), através de sua Assessoria de Comunicação e Imprensa (5ª Secção do Estado-Maior da Corporação) divulgou nesta quarta-feira (10), que serão empregados 1.184 policiais na operação de segurança para os festejos de Pré-Carnaval 2018, que começam oficialmente amanhã (13). O maior contingente, certamente, será mobilizado para a segurança no desfile dos blocos da Praia de Iracema.  Bom mesmo que isso se concretize, pois no fim de semana passado, quando diversos eventos carnavalescos ocorreram naquele bairro, a segurança ficou a desejar.  Um “arrastão” ocorreu no cruzamento das ruas Gonçalves Ledo e Tenente Benévolo, a 100 metros do Mercado dos Pinhões. Cidadãos presenciaram tudo e comunicaram o fato a um grupo de PMs que estavam ali. Estes, porém, nada fizeram. Os neo-soldados disseram que não poderiam sair do local onde foram colocados e, de longe, observaram os bandidos fazerem a festa, atacando e roubando para, em seguida, fugirem para a Favela da Graviola, na mesma rua. Perto dali, no Bar da Mocinha, um professor universitário da Bahia foi atacado e baleado por assaltantes.

CGD FAZ CORREIÇÃO NA DENARC

A Controladoria Geral de Disciplina dos Órgãos da Segurança Pública e do Sistema Penitenciário (CGD) deu início a uma correição na Divisão de Combate ao Tráfico de Drogas (DCTD), conhecida como Denarc (Divisão de Narcóticos), onde, recentemente, a Polícia Federal fez uma devassa, resultando na descoberta de um esquema criminoso que envolvia policiais daquela Especializada num esquema de cobrança de propina a traficantes. O resultado da operação foi o afastamento de vários servidores, entre eles, dois delegados. Outra delegada foi transferida dali. A correição foi determinada pelo controlador geral em exercício e apura denúncias de retirada de peças de veículos que teriam sido apreendidos. Contudo, somente com a conclusão da inspeção administrativa será possível se saber se há fundamento na denúncia. Três delegados e uma equipe de escrivães foi destacada pela CGD para realizar a correição.  Com o afastamento da então titular da unidade, delegada Patrícia Bezerra, assumiu recentemente o cargo a delegada Socorro Portela, que já provou sua competência e lisura ao dirigir a Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), esclarecendo crimes de repercussão no estado.

EXÉRCITO SILENTE

Material bélico tirado do Exército e levado para as mãos de delinqüentes integrantes de uma facção criminosa. Este é o desafio que oficiais da 10ª Região Militar (sediada em Fortaleza) têm para investigar e esclarecer o caso, identificando seus autores. No começo da semana a “bomba” estourou com a divulgação do fato pelo site cearanews7.com, de forma exclusiva e, portanto, em primeiríssima mão. Estranho é que a 10ª RM não tenha, ainda, se manifestado oficialmente sobre o caso. Foram mais de 14 mil cartuchos de calibre 7.62 (balas usadas em fuzis) que acaram sendo desviados do paiol da Corporação  localizado no Distrito de Penedo, em Maranguape, local usado para treinamentos da tropa. E o pior: todo esse material bélico e letal foi parar nas mãos de bandidos da facção GDE (Guardiões do Estado), que hoje ocupam as comunidades do Barroso 2 e Babilônia, no bairro Passaré, na zona Sul de Fortaleza. O Departamento de Inteligência Policial (DIP), da Polícia Civil, está auxiliando os oficiais da Inteligência do Exército a investigar o fato. Dois soldados do EB já estão no xilindró.

ATAQUES A BANCOS RECOMEÇAM

Começou cedo a maratona de ataques a bancos no Ceará no novo ano. Na madrugada desta quinta-feira (11), o primeiro alvo de 2018 no Ceará foi a pequena cidade de Ibaretama, no Sertão central (a apenas 130Km de Fortaleza). A modesta agência do Bradesco daquele município foi destruída pela explosão de artefatos nos caixas eletrônicos. A população é mais prejudicada, pois agora ficará meses sem poder contar com os serviços oferecidos pela instituição financeira. Como ocorreu em 2017, bandidos escolhem as cidades de menor porte para praticar os ataques  ao estilo “Novo Cangaço”, em que agem, simultaneamente, nos bancos e atiram contra os prédios dos Destacamentos da Polícia Militar. A Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) e a Polícia Civil do Ceará, através da sua Delegacia de Roubos e Furtos (DRF), garantem que houve uma diminuição dos ataques a bancos no estado entre 2016 e 2017.  Contudo, mais de 40 cidades cearenses passaram pelo indigesto episódio de terem sido invadidas por grupos criminosos, que destruíram suas agências bancárias.

 E TEM MAIS!!!

* No entorno da sede da SSPDS, no bairro São Gerardo/Parquelândia), em Fortaleza, as ameaças  e extorsão de “flanelinhas” contra cidadãos, o tráfico de drogas e as farras de fim de semana, com som em alto volume, em diversos bares ali instalados, representam um desafio para o secretário André Costa. Nada é feito para conter a bagunça que acontece a poucos metros do gabinete do gestor maior da Segurança Pública estadual. Desmoralização total.

* Troca-troca na Superintendência da Polícia Federal no Ceará. O delegado Wellington Santiago deixa o cargo de titular da Delegacia Regional de Combate ao Crime Organizado (DRCOR), onde comandou   operações, como a “Expresso 150”. No seu lugar assume a delegada Juliana Pacheco.

* A pedido da Polícia Civil, a Justiça decretou a prisão do homem acusado de ter assassinado a jovem Estephany Brito, 22 anos, na madrugada do dia 1º de janeiro e transportar o corpo da vítima na garupa de sua motocicleta. O ex-namorado da vítima, suspeito do crime, agora é foragido da Justiça.

* Governo do estado já começa a usar o artifício do aluguel para reforçar a frota das polícias Civil e Militar, da Perícia Forense e de Corpo de Bombeiros Militar, além da própria SSPDS. Fato inédito no Ceará, a Polícia vai rodar atrás de bandidos em carro alugado.

* Cidades de pequeno porte, até então consideradas pacatas, já registraram seus primeiros assassinatos neste ano de 2018. É o caso de Varjota, Aurora, Itapiúna, Forquilha, Cruz  e Jardim. Já em Hidrolândia, que nem sequer aparecia no noticiário policial, ocorreu uma chacina com três mortos.

* Acontece nesta sexta-feira (12) a primeira reunião do Conselho Municipal de Proteção Cidadã, tendo à frente o prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio (PDT). O objetivo é a apresentação das metas do projeto para os próximos meses com o intuito de tornar a Capital mais segura.

* A torre de segurança do Jangurussu, que ainda está em fase experimental, já apresenta os primeiros resultados positivos na prevenção à violência. Guardas municipais ali destacados apreenderam um carro roubado e  clonado, drogas e uma arma de fogo. A torre entra em operação no próximo dia 26.

* Falam que interferências políticas, as famosas “peixadas”, estão atrapalhando a cúpula da Polícia Civil a realizar a mudança de delegados como  estava prevista para o começo de 2018. O delegado-geral, Everardo Lima, teve que desfazer algumas nomeações que ele já havia assinado.

* Já na Polícia Militar, o comandante-geral, coronel Ronaldo Viana, “passou o rodo” e trocou vários comandos operacionais na Capital e no Interior. O aumento de efetivo deve garantir melhor distribuição de contingente para as Áreas Integradas de Segurança (AIS) mais violentas do estado.

* A PERGUNTA DO DIA: Você folião, se sente seguro para brincar no Pré-Carnaval de Fortaleza?

 

 

 

 







Tropa da PM se divide entre votar em Camilo e Capitão Wagner para governador
Mesmo em um cenário de extrema violência no Ceará, Camilo angariou a simpatia da Polícia Militar ao instituir a "Lei das Promoções". Mas para Wagner, o gestor deu um "pirulito" aos militares
A possível disputa entre Wagner e Camilo pelo governo já começa a mexer com a tropa da PM
query_builder

Em entrevista ao programa “Ceará News”, da Rede Plus de Rádio FM, o deputado estadual Capitão Wagner (PR) revelou que tem a pretensão, sim, de se candidatar ao cargo de governador do estado, mas admitiu que a tropa da Polícia Militar está dividida. Parte do contingente é simpático à sua candidatura, mas outra prefere a reeleição de Camilo Santana (PT).  Segundo ainda o parlamentar, essa divisão surgiu entre o fim de 2015 e o começo de 2016, quando Camilo acenou para a tropa com a “Lei das Promoções”.

Mas em seguida, Wagner disparou: “É natural que o governador (Camilo) ganhe espaço. Quando você está num cenário péssimo, horrível, e, de repente, chega alguém que lhe dá um pirulito, você já se sente melhor. Alguém que lhe dê um afago, você já se sente bem, e foi isso que o governador fez, deu um afago, um carinho, um cheiro no cangote do policial e ele ficou satisfeito. Então, por conta disso, há uma divisão na categoria”, se referindo às promoções, com nenhum ganho salarial significativo.

DISPUTA NA SEGURANÇA

As afirmações de Wagner surgem no momento em que Camilo Santana tenta reverter os desastrosos índices da criminalidade no estado, para alavancar sua candidatura à reeleição ao Palácio da Abolição. No entanto, a presença das facções criminosas aqui representa uma pedra no caminho dos gestores da Segurança Pública. O ano de 2018 começou muito mal para o setor. Em apenas quatro dias, 74 pessoas foram mortas, representando uma média de 18,5 homicídios por dia, acima da média de 14 do ano de 2017.  Camilo decidiu investir pesado na Segurança, com recursos milionários para a contratação de PMs e a compra de equipamentos, mas os resultados foram decepcionantes. Neste cenário de contradições – com a tropa satisfeita e, ao mesmo tempo, a sociedade mergulhada na violência – a disputa Camilo x Wagner poderá ser bem interessante.

“DANÇA DAS CADEIAS” PROMETE

O clima nos bastidores da Polícia Civil é de expectativa neste começo de 2018. As mudanças nas chefias de delegacias, departamentos e divisões devem começar na próxima semana. O rebuliço é geral e vai embalar a “dança das cadeiras”.  A ordem para o troca-troca veio de cima, do Palácio da Abolição, passando pelo prédio amarelo da Avenida Bezerra de Menezes onde funcionou o antigo CPOR (Centro de Preparação de Oficiais da Reserva) e que hoje abriga a sede da SSPDS. Delegados do Interior virão para a Capital e vice-versa.  A respeito disso, um experiente delegado assim comentou: “Mudar por mudar, sem nenhuma estratégia, é jogar para a platéia. Para reduzir a violência é preciso um plano de segurança”.  E o estado não tem ainda este plano, portanto…

 A GRANA DE CIRO

Instituições filantrópicas que oferecem tratamento para usuários de drogas estão ligando para o deputado Capitão Wagner.  Já se candidatam a receber cerca de R$ 20 mil que ele deve abiscoitar da conta bancária do ex-governador e presidenciável Ciro Ferreira Gomes. Ciro foi condenado em Primeira Instância a pagar uma indenização ao capitão por tê-lo chamado de “chefe de milícia” na corrida eleitoral de 2014. No último dia 19 de dezembro a juíza de Direito, Roberta Ponte Marques Maia, da 38ª Vara Cível de Fortaleza, assinou a sentença do processo por danos morais impetrado pelo capitão. Ciro poderá ainda recorrer da decisão judicial, mas tem pouquíssimas chances de reverter a condenação, já que as provas são irrefutáveis de que seu objetivo foi atingir a imagem e honra do deputado. Wagner anunciou que repassará o dinheiro para alguma instituição que trate da recuperação de drogados. Alguém já havia feito oferta semelhante ao próprio Ciro…

DELEGACIA NA PRAIA

Moradores da Praia de Iracema estão se mobilizando para uma verdadeira revitalização do bairro que, outrora, foi o berço da boemia fortalezense. Entre outras reivindicações que serão feitas ao governo do estado, a reinstalação da Delegacia de Proteção ao Turista no bairro. Durante vários anos a Deprotur funcionou bem próximo ao “ferro de engomar” (bifurcação) das avenidas Beira-Mar e Historiador Raimundo Girão, mas acabou se transferindo para o prédio reformado que também abriga o 2º DP, na Rua Costa Barros, na Aldeota. Para os moradores, a presença da Deprotur na Praia de Iracema tem mais eficácia, pois ali estão instalados diversos hotéis, além da proximidade com a Avenida Beira-Mar.  A reivindicação deverá ser encaminhada ao secretário da Segurança Pública e ao governador. Os moradores querem também mais segurança em outros pontos do bairro.

DESAFIO AO ESTADO

A ordem de traficantes da facção GDE (Guardiões do Estado), expulsando de casa os moradores do bairro Barroso 2, mexeu com a estrutura da cúpula da Segurança Pública. O Palácio da Abolição não gostou nada da repercussão que o assunto obteve. A Polícia Militar ocupou as ruas do bairro para caçar os bandidos e dar proteção aos moradores. Três suspeitos foram detidos. Entretanto, o estrago está feito. Muitas famílias que tiveram que sair às pressas dos seus imóveis afirmam que não voltarão mais. “Um dia, a Polícia vai embora daqui e nós vamos ficar na mira dos bandidos” contou um cidadão. A própria PM reconhece que é difícil a situação na área. Contudo, o Comando-Geral despachou a ordem para que sejam mantidas várias patrulhas dos batalhões Raio (BPRaio) e de Choque (BPChoque) em incursões nas ruas e becos daquela comunidade. E a pergunta dos moradores ameaçados, claro, é só uma: “até quando? Não seria melhor caçar e prender todos os criminosos que ali estão escondidos e ameaçando as pessoas de bem???

DEFENSORIA SOMENTE NAS URGÊNCIAS

Neste período de recesso da Justiça, iniciado no dia 27 de dezembro, a Defensoria Pública do Estado do Ceará está atendendo apenas casos considerados de urgência. Desde então, somente em Fortaleza, foram contabilizadas 50 ações judicializadas. A maioria dos pedidos é relacionada à saúde, com solicitações de leitos em Unidade de Terapia Intensiva (UTI) ou transferências das Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) para leitos em hospitais terciários. A porta de entrada dessas demandas é o Núcleo de Defesa da Saúde (Nudesa), que promove soluções de conflitos, extrajudicial e judicialmente, que visa o fornecimento, pelo poder público ou pelos planos de saúde, de medicamentos, procedimentos médicos, vagas para internação hospitalar, dentre outros procedimentos. De acordo com a defensora pública supervisora do núcleo, Nelie Marinho, regularmente o núcleo chega a receber cerca de 70 pessoas, mas nesse período de recesso os atendimentos acontecem apenas para as ações emergenciais.

E TEM MAIS !!!

* Tramita na Câmara dos Deputados um projeto de lei para criar no País unidades de Corpo de Bombeiros Municipais. O objetivo é estender o serviço de socorro em incêndios, acidentes e outros sinistros aos municípios brasileiros, principalmente aqueles de pequeno e médio porte no Interior.

* Entre as mudanças nas delegacias da Polícia Civil do Ceará, no rodízio determinado pela cúpula da instituição, uma já está definida. Delegado Pedro Viana deixa o Departamento de Polícia da Capital (DPC) e vai assumir a chefia do 2º DP (Meireles), substituindo o delegado Dionísio Amaral.

* Nesta temporada de férias, a brincadeira de mau-gosto de pipas com “cerol” continua fazendo vítimas. Nesta sexta-feira, um cidadão foi atingido por um fio em plena Avenida Leste-Oeste quando trafegava de bicicleta. Por muito pouco não foi degolado. Está em estado grave.

* E a matança cruel em Fortaleza continua com crimes com requintes de  crueldade. Somente nesta primeira semana do ano, foram registrados três casos de pessoas decapitadas e duas esquartejadas. São crimes atribuídos à guerra das facções. Corpos humanos são encontrados destroçados.

* O que está acontecendo em Pacajus? Em uma semana, quatro garotas foram assassinadas, todas com idades entre 14 e 20 anos. Há algum serial killer na cidade executando essas jovens? A Polícia ainda não conseguiu sequer um suspeito da matança. A última vítima tinha apenas 14 anos de idade.

* Em questão de horas, Sobral foi palco de três assassinatos no segundo dia do ano. Três jovens foram mortos nos bairros Dom Bosco, Junco e Terrenos Novos. Nem mesmo o reforço de contingente da PM recém-enviado para aquela cidade inibiu a violência patrocinada pelo tráfico de drogas.

* Nada menos, que 348 mulheres foram assassinadas no Ceará em 2017, contra 210 casos em 2016, o que representou uma elevação da ordem de 65,7 por cento. A onda de violência agora cai sobre as “novinhas”, adolescentes e jovens envolvidas com a bandidagem. Estão sendo dizimadas.

* Neste cenário de violência contra a mulher, o Ceará ainda não emplacou uma política de segurança e prevenção eficaz. Apenas 11 dos 184 municípios cearenses possuem uma Delegacia de Defesa da Mulher. A demanda neste setor é altíssima. Da primeira tapa ao assassinato, é questão de tempo.

PERGUNTA DO DIA: A CPI do narcotráfico foi mesmo enterrada de vez pelos senhores deputados estaduais do Ceará?

 

 







Segurança Pública tem pela frente o desafio de reduzir a tragédia da violência no CE
Para 2018, o governo e a cúpula das forças policiais terão que montar um plano para aplacar o avanço das facções no estado. Elas foram responsáveis por levar o estado aos cinco mil assassinatos no ano passado
Camilo aposta nos novos efetivos para reduzir a violência no ano eleitoral
query_builder

Passado o terremoto da violência de 2017 no Ceará, que deixou mais de cinco mil mortos no estado, hora do governo e da cúpula de suas forças de Segurança repensarem  a estratégica de combate ao crime. Ficou provado no ano passado que, sem um plano de Segurança para o estado e outro de policiamento para Fortaleza, os índices da criminalidade não serão reduzidos, pelo contrário, só aumentarão em 2018.  As recentes contratações e convocações de novos servidores para o setor – Polícia Militar, Polícia Civil e Perícia Forense – animam o governador Camilo Santana (PT) neste ano de eleições, e ele será candidato a permanecer mais quatro anos no Palácio da Abolição.

O volume de investimentos na área da Segurança Pública no Ceará, em 2017,  foram estratosféricos, mas os resultados pífios. No apagar das luzes do ano que se foi, Camilo empossou mais uma turma de neo-soldados da PM e promoveu mais um contingente de praças e oficiais da Corporação. Embora sem uma estratégia definida para combater a violência, ele aposta em quantidade. Espalhou companhias e pelotões do Batalhão Raio por todo o Ceará, deixando o Raio de ser uma tropa de elite para  se tornar “comum” na linguagem da tropa, isto é, fazer parte do policiamento ordinário como é o Policiamento Ostensivo Geral (POG).  Na verdade, o que houve foi uma troca de denominação, fardamento, treinamento e de propaganda de governo: sai o Ronda de Cid Gomes, entra o Raio de Camilo.

DESAFIOS PARA O RAIO

Com mais qualificação, maior mobilidade e rígida disciplina, o BPRaio assumiu as rédeas da Polícia ostensiva do Ceará, e terá que dar a resposta que a sociedade deseja e que o governador pretende: reduzir drasticamente os altíssimos índices de assassinatos e roubos no estado e trazer de volta a paz ao povo cearense. A responsabilidade e a carga de trabalho para a tropa serão imensas em 2018. Já a tarefa de combater e aniquilar as facções criminosas comandadas de dentro do Sistema Penitenciário seria da Polícia Civil e das unidades de Inteligência. No entanto, as duas estão enfraquecidas, desprestigiadas e desamparadas, o que só fortalece as organizações criminosas e garante a impunidade aos assassinos.

AS FACÇÕES E O MEDO

Com cerca de dois mil assassinatos registrados em 2017, Fortaleza vive uma situação complicadíssima na Segurança Pública. Nas mais de 800 favelas espalhadas pela cidade, as facções criminosas ganham terreno a cada dia, graças a uma guerra entre elas. As escaramuças e confrontos nos becos, vielas e ruas acontecem diariamente, já fazendo parte do cotidiano da periferia da Capital. Bairros como Jangurussu, Colônia, Barra do Ceará, Cais do Porto, Edson Queiroz, Jardim das Oliveiras, Tauape, Lagamar, Ancuri, Álvaro Weyne, Floresta, Barroso, Passaré, Conjunto Palmeiras e Sapiranga-Coité, dentre outros, estão completamente envolvidos na guerrilha urbana das facções Comando Vermelho (CV) e Guardiões do Estado (GDE). Moradores são obrigados a conviver com a força das armas dos bandidos e os assassinatos diários. Corpos decapitados, esquartejados, queimados em via pública e outras atrocidades se tornaram comuns nessas áreas. Assim foi em 2017. Que não seja em 2018.

MATANÇA DE MULHERES

O número de assassinatos de mulheres cresceu no Ceará em 2017 de forma assustadora. Enquanto em 2016 foram registrados 210 crimes de morte do gênero, no ano passado esse número foi para 348, o que representou uma elevação da ordem de 65,7 por cento. Somente em dezembro, foram 43 mulheres assassinadas no Ceará, a maioria na Capital, fruto do envolvimento delas – principalmente jovens e adolescentes – no tráfico de drogas e na guerra das facções. Além disso, há os casos passionais (feminicídios), os crimes de natureza sexual (estupros seguidos de morte), latrocínios (roubos seguidos de morte), casos de bala perdida e muitos fatos misteriosos. Neste cenário, entram as tragédias familiares, como a que ocorreu no dia 4 de dezembro no Município de Ipueiras (a 298Km de Fortaleza) onde um homem,  inconformado com a separação, tocou fogo em sua própria casa, causando a morte da ex-companheira e de três crianças, filhas da mulher e enteadas do criminoso.

GRANA PARA O SISTEMA

A Secretaria da Justiça e Cidadania do Estado divulgou, na última semana de 2017, o plano de aplicação dos recursos pagos pelo Fundo Penitenciário Nacional (Funpen) ao Ceará. A Sejus recebeu, no último mês de novembro, R$ 44,7 milhões referentes ao repasse do Funpen de 2016. A expectativa era receber até o fim de dezembro, outros R$ 29,6 milhões referentes ao ano de 2017. Juntos, os dois repassem totalizarão um investimento de R$ 74,3 milhões no Sistema Penitenciário.  O montante referente a 2016 será aplicado, prioritariamente, na construção de uma unidade de segurança máxima com capacidade para 168 internos e na reforma de unidades prisionais. As ações compõem a categoria construção, ampliação e reforma de unidades e totalizará um investimento de R$ 31,9 milhões. Em seguida estão os investimentos em algemas, armamentos, coletes e veículos, somando R$ 8,8 milhões. Nessa categoria serão adquiridos furgões celas e ambulâncias. Por fim, no que se refere ao montante de 2016, estão as despesas com capacitação de agentes penitenciários e aquisição de munições diversas. Essa categoria soma R$ 3,9 milhões.

MÃO DE FERRO NA DISCIPLINA

A Controladoria Geral de Disciplina dos Órgãos da Segurança Pública e do Sistema Penitenciário (CGD) não brinca em serviço, e tem agido com “mão de ferro” através da sua Delegacia de Assuntos Internos (DAI). Somente nos últimos dias, os profissionais dali fizeram a prisão, em flagrante, de, pelo menos, uma dezena de agentes do setor. Seis policiais civis, três PMs e um agente penitenciário foram detidos  das ruas e encaminhados àquele órgão, onde acabaram indiciados em inquéritos criminais.  Ao mesmo tempo, são alvos de Processo Administrativo Disciplinar (PAD) e podem ser expulsos do Serviço Público. Os casos são diversos, desde simples desordem a  disparos de arma de fogo em via pública, embriaguez ao volante, crimes de extorsão, tráfico de drogas e receptação.  Ao menos, seis policiais permanecem atrás das grades, enclausurados na carceragem do Complexo de Delegacias Especializadas/Code (no caso de policiais civis e agentes penitenciários) e no Presídio Militar (PMs).

E TEM MAIS!!!

* Após o escândalo de corrupção que envolveu o Tribunal de Justiça do Ceará com a “Operação Expresso 150”, os plantões de fim de semana e feriados têm sido difíceis para os advogados. No último deles, foram recebidas seis demandas (quatro pedidos de habeas corpus, uma petição e um agravo de instrumento). Todos foram negados.

* Grave a situação no Rio Grande do Norte por conta da greve de policiais civis e militares.  No último dia do ano (31), a Justiça determinou que seja preso em flagrante qualquer agente da Segurança Pública que incite a paralisação. Em uma semana com a Polícia fora das ruas, homicídios aumentaram 40 por cento em Natal e na cidade de Mossoró, a segunda mais populosa do estado potiguar.

* Um pacote de drogas foi apreendido no pátio de um quartel da Polícia Militar no interior do Ceará. O fato aconteceu na sede do 7º BPM, em Crateús, onde também funciona  a cadeia pública do Município. Um desconhecido atirou um saco com um “tijolo” de maconha em direção à cadeia, mas a “encomenda” foi parar no quartel, para azar de quem ia fumar o baseado.

* Contingente policial  a pé, motorizado (em motos e carros), a cavalo e em um helicóptero deu conta do recado na festa de Ano-Novo no Aterro e no Aterrinho da Praia de Iracema. A presença ostensiva de centenas de policiais (cerca de 900 homens) inibiu a bandidagem, que preferiu não se arriscar.

* Avenidas Monsenhor Tabosa e Bezerra de Menezes contam com reforço no policiamento ostensivo a pé e em veículos nesta temporada de férias. São os novos policiais (recém-formados na Academia da Segurança Pública) que estão já nas ruas para inibir a ação de delinqüentes.

* Faltando apenas 11 dias para o início da temporada oficial do Pré-Carnaval da Prefeitura Municipal de Fortaleza, em vários pontos da cidade, tenente-coronel Jano Emanuel, do Planejamento Operacional do Comando-Geral da PM, já iniciou o plano para distribuição do efetivo e garantir que os foliões se divirtam em paz.

* PERGUNTA DO DIA: Até quando as autoridades vão continuar “fechando os olhos” para as atividades criminosas de uma cracolândia em pleno Centro de Fortaleza, a favela do Oitão Preto?

 







2017, ano que deve ser “esquecido” na Segurança Pública. A violência venceu a Lei
Com mais de cinco mil assassinatos e alta taxa de roubos, o Ceará se despede de 2017 com a expectativa de que em 2018 as autoridades façam valer a ordem pública no estado dominado por facções criminosas
Somente em Fortaleza, cerca de duas mil pessoas foram mortas em 2017
query_builder

E 2017 chegou ao fim, ano que deve ser “esquecido” pelo governo do estado do Ceará em relação à Segurança Pública. Estatísticas catastróficas da violência se contrapõem aos milhões de reais gastos em investimentos no setor. Ao mesmo tempo em que o governador Camilo Santana (PT) contratou cerca de 4 mil policiais militares, comprou centenas de viaturas e ampliou o Batalhão Raio para todo o Ceará, a política batizada de “Ceará Pacífico” mergulhou literalmente em retumbante fracasso. O número de Crimes Violentos, Letais e Intencionais (CVLIs), que representam os homicídios, latrocínios e lesões seguidas de morte, bateu o recorde histórico do estado, sendo ultrapassada a incrível marca dos cinco mil assassinatos. Camilo deixou para trás o recorde que, até então, era do seu antecessor, o  ex-governador Cid Gomes (PDT), que amargou, em 2014, a estatística de 4.439 homicídios.

Mas Camilo não desiste da luta. Acredita que em seu último ano de governo (antes de uma iminente reeleição) conseguirá reverter esse quadro. E vai mais além: recentemente, bradou que o Ceará irá se tornar “modelo” em Segurança Pública para todo o País. Como fará isso, é uma incógnita, pois não investe no principal pilar do combate ao crime em qualquer parte do mundo: a Inteligência.  Enquanto a polícia ostensiva (militar) recebeu o aporte de mais 4.400 homens (novos PMs), a Judiciária (Civil), responsável pela apuração dos crrimes, prossegue no seu calvário de sucateamento e desprestígio. Em 2018, uma leva de delegados vai se aposentar e  o quadro, certamente, irá piorar no funcionamento das delegacias. O efetivo recém-convocado de novos policiais civis (delegados, escrivães e inspetores) não será o suficiente – nem de longe – para cobrir a deficiência de pessoal na instituição. E a impunidade e violência persistirão, pois sem policiais não haverá investigação, sem investigação não há inquéritos robustos, sem inquéritos bem finalizados não há processos fortes nem condenação. Resultado: impunidade.

 ROBERTO CLÁUDIO E A SEGURANÇA

Em recentes declaração pública, o prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio (PT), fez questão de esclarecer o papel do Município no setor da Segurança Pública e, especificamente, no combate à violência. “O papel do Município não é substituir a Polícia. Temos limitações, mas isto não quer dizer que não temos responsabilidade. Há um papel para a Polícia Federal, para a Justiça, para o Ministério Público, para as polícias  Civil e Militar. O papel do Município é a prevenção”. Ele ressaltou a importante tarefa do Comitê Executivo Municipal Pela Prevenção dos Homicídios na Adolescência (CEMPHA). “Precisamos saber onde acontece, quando acontece e por que acontece a morte de adolescentes”. Ele aponta medidas que a Prefeitura de Fortaleza tem adotado neste sentido: ampliação do número de escolas em tempo integral, aumento do número de vagas nas creches, reformas e ampliações de praças, construção e conservação das areninhas e a implantação da  iluminação pública com luzes brancas ou de LED.

A TAREFA DE MORONI

Roberto Cláudio também está entusiasmado com a instalação do Plano Municipal de Proteção Urbana (PMPU), que vai dar segurança nas áreas da cidade com maiores índices de violência. E falou sobre o vice-prefeito, Moroni Torgan (DEM), que é o responsável pelo projeto. “Na área da Segurança Municipal, não por acaso, nós temos o Moroni Torgan de vice. O Moroni é uma pessoa muito querida e respeitada pelo trabalho que tem realizado e realizou durante anos na Segurança do estado. É um especialista, um policial federal que acumulou um conhecimento muito grande ao longo desses a nos e está conosco para dar sua contribuição no assunto”, destaca.  O PMPU já está em fase experimental na comunidade Jangurrusu e deverá ser oficialmente implantado em janeiro vindouro, com torres de segurança no Jangurussu e nas Goiabeiras (Barra do Ceará). Em seguida, serão instaladas células do programa nos bairros Canindezinho, Vila Velha e Edson Queiroz.

DINHEIRO PARA NOVAS CADEIAS

A Secretária de Justiça e Cidadania do estado do Ceará, procuradora Socorro França, anda bem animada com as perspectivas para 2018. Anunciou que a Sejus receberá um aporte financeiro significativo do governo federal. São R$ 74,5 milhões do Fundo Penitenciário Nacional (FPN).  Parte desse dinheiro, cerca de R$ 44 milhões,  já caiu na conta da Pasta. O restante entrará em breve. Com isso, o orçamento para 2018 será beneficiado para a construção e manutenção de novas unidades prisionais no estado. E uma dessas obras será a de construção de uma penitenciária de segurança máxima estadual. Ela será erguida nos moldes dos presídios e penitenciárias federais de segurança máxima, onde é cumprido o Regime Disciplinar Diferenciado (RDD). Nela ficarão recolhidos os chefes de facções criminosas e outros facínoras deste naipe. Enquanto isso não acontece, a rotina de fugas de detentos nas unidades penais cearense segue sem trégua. Em uma semana, escaparam 12 da CPPL 3 e mais nove da cadeia pública de Morada Nova.

A MORTE DO PEQUENO PEDRO

A violência sem controle que atinge o Ceará, e, especialmente, a Grande Fortaleza, fez mais um inocente se transformar em vítima. O pequeno Pedro, que tinha somente cinco meses de vida. Na noite da última quarta-feira (27), ele estava nos braços da mãe, quando a casa da família, no bairro Pici, em Fortaleza, foi invadida por dois homens armados que tinham acabado de desembarcar de um carro vermelho na Travessa Conselheiro Farias.  Estavam armados e buscavam matar o pai da criança, Gabriel. Invadiram a residência já disparando tiros. Um deles acertou as costas do bebê, outro, o braço da mãe. Os dois caíram e o pai conseguiu fugir pelos fundos. Mãe e filho foram levados para o “Frotinha” de Antônio Bezerra. Minutos depois veio a trágica notícia: o recém-nascido não resistiu. Além da tragédia em família, a morte de Pedro também representa a tragédia de mais de cinco mil famílias cearenses neste ano. Dor da morte provocada pela violência que o estado não consegue frear.  São centenas de jovens e adolescentes assassinados na guerra das facções e das drogas.

A TRAGÉDIA DAS MOTOCICLETAS

Pelo menos, 16 pessoas morreram em acidentes de trânsito no Ceará no feriadão do Natal. A maioria em desastre envolvendo motocicletas. Os sinistros mais comuns são quedas. Em seguida, colisões e choques. A fiscalização para este tipo de veículo ainda é falha, principalmente no Interior, onde na maior parte dos municípios não existe um órgão de fiscalização de trânsito. Estatísticas nacionais mostram que 74 por cento das indenizações pagas pelo seguro DPVAT são relativos a acidentes  envolvendo motos, embora estas representem apenas 27 por cento da frota de veículos no País.  A pesquisa revela, ainda, que a maior  faixa etária de motoqueiros que morrem no Brasil vai de 18 a 34 anos de idade, e 88 por cento são do sexo masculino. Os acidentes com motos causaram um terço das mortes violentas em sinistros de trânsito no Brasil em 2016.  E tem mais: 58 por cento das internações hospitalares no País são de pacientes feridos em acidentes do gênero. Destes, 79 por cento ficam com seqüelas graves e passam para a invalidez definitiva.

UM DEFUNTO E DUAS NECROPSIAS

Fato inédito aconteceu em Fortaleza. Um jovem foi assassinado, a tiros, no bairro Edson Queiroz, no fim de semana prolongado do Natal.  O crime foi motivado pela guerra entre facções criminosas do bairro. No dia seguinte, depois de ser submetido a necropsia na Perícia Forense, o corpo foi levado para ser velado na casa de uma tia do rapaz, no bairro Sapiranga, já que bandidos ameaçavam a família dele. Ainda assim os matadores não se deram por satisfeitos. Descobriram onde ocorria o velório e foram até lá. Botaram as pessoas para correr e arrastaram o caixão com o defunto para o meio da rua. O corpo foi, então, queimado. A Polícia foi acionada, e o rabecão também. Resultado, o cadáver acabou outra vez na Pefoce para uma segunda necropsia, desta vez para a constatação da destruição por fogo (carbonização) e a devida identificação. Crueldade e barbárie nas ruas da cidade.

E TEM MAIS !!!

* Nas redes sociais e aplicativos de celulares rola mais um fake, revelando que a Polícia Federal teria descoberto um golpe em relação ao sorteio da mega-sena da Virada, que vai pagar um prêmio estimado em até R$ 280 milhões. Tudo mentira. Façamos nossa “fezinha”.

* Trabalho de Inteligência bem feito, resulta em prisão de bandido. Foi o que aconteceu numa ação da Coordenadoria de Inteligência Policial (CIP). Criminosos foram apanhados na Comunidade Babilônia com coletes à prova de bala, munições e drogas. O apoio foi do Cotam e do BPRaio.

* No Maranhão, um jovem foi preso depois de assaltar uma loja e roubar a ninharia de R$ 70,00. Ele não fugiu. Esperou a Polícia chegar. Na delegacia, o delegado indagou porque ele fez aquilo, o ladrão revelou, quis ser preso para sair de casa: “Minha mulher me bate toda hora, não agüento mais!”

* Repercutiu a informação – em primeira mão – dada por esta coluna na última quarta-feira (27), dando conta de uma mudança geral que será feita nas delegacias, departamentos e divisões da Polícia Civil logo após a virada do ano.  O rodízio de delegados será geral em todo o estado.

* Um aspecto positivo na Segurança Pública do Ceará tem que ser ressaltado. Neste ano que chega ao fim os índices de apreensões de armas de fogo cresceram em torno de 27 por cento em comparação a 2016.  Somente de janeiro a novembro, foram 6.209 apreensões. Em 2016, 4.885.

* Somente em Fortaleza, quase duas mil pessoas foram assassinadas em 2017. O aumento do efetivo do Batalhão Raio na Capital é a esperança e a estratégia que o governo conta para reverter esta situação em 2018. De janeiro a novembro foram 1.800 homicídios na Capital, contra 920 em 2016.

* E A PERGUNTA DO DIA:  Revisou o carro  e a documentação para pegar a estrada no feriadão do Ano-Novo???

 

 

 







Após prisões por corrupção, governador manda fazer mudança geral na Polícia Civil
Todos os cargos de chefia e assessoramento deverão ser colocados à disposição e haverá rodízio geral nas delegacias da Capital, Região Metropolitana e no Interior. Mudanças também em departamentos e divisões
Secretário André Costa determinou um rodízio geral nas delegacias
query_builder

Quando o Ano-Novo entrar, uma drástica mudança vai acontecer em todos os cargos de chefia e assessoramento da Polícia Civil do Ceará. Um “rodízio” geral de delegados ocorrerá nas delegacias distritais, metropolitanas, municipais, regionais e especializadas. A mudança vai atingir também divisões e departamentos. A ordem veio de cima e será devidamente acatada pelo gestor da instituição, no caso, o delegado-geral Everardo Lima. Tudo isso após os episódios em que servidores da casa acabaram sendo alvos de operações da Polícia Federal, do Ministério Público Estadual, da Justiça e da própria Controladoria Geral de Disciplina (CGD). Mas é bom ressaltar que as mudanças não são de pessoas investigadas ou indiciadas. Estas estão afastadas das funções. O que a cúpula da Segurança Pública quer é dar celeridade e dinamismo no dia-a-dia da Polícia Civil. Tirar de delegacias  delegados que estão ali há anos. A mudança seria uma oxigenação.

DESABAFO DO DELEGADO

“Quando no ano de 2001 fui para o Rio de janeiro estudar Planejamento Estratégico a mando do Governo Tasso, um amigo e apoiador naquela cidade, mandou que Eu guardasse a minha pistola e a minha babilaca de Delegado, pois se Eu fosse identificado seria morte certa. Atendi o conselho do amigo, somente onze meses depois, na minha volta, voltei a usá-la. Nunca pensei que a moda viesse para o Ceará. Hoje quando vejo notícias de policiais sendo agredidos por se identificarem policiais, custo a acreditar que a moda chegou no Ceará. Uma inversão de valores inaceitável”.

O desabafo é de um delegado da Polícia Civil cearense. Nas redes sociais, ele e outros profissionais da Segurança Pública revelam o nível de medo e risco que sofre a categoria diante do avanço da criminalidade no Ceará. Se os agentes são alvos constantes de atentados, assaltos, agressões etc, o que dirá de nós cidadãos que não andamos armados nem temos a autoridade como guardiã de nossas atividades profissionais. Este, porém, é o cenário da violência e da criminalidade que assola o nosso estado, numa situação nunca vista antes, de medo e impunidade.

NOSSO RECORDE!

Era por volta de 17 horas da última sexta-feira quando a Polícia foi mobilizada para ir até o bairro Padre Andrade, onde ali tinha sido praticado um assassinato, mais um caso de execução sumária, pois um jovem foi morto a tiros quando parou suma motocicleta num cruzamento. Aquele não era apenas “mais um” homicídio na cidade. Representava o momento em que o Ceará batia o recorde histórico de cinco mil homicídios em um único ano. Antes, essa condição ocorreu em 2015, na gestão do então governador Cid Gomes, quando o Ceará atingiu a marca de 4.439 assassinatos. Esse número foi superado ainda em novembro passado. Caminha o Ceará para fechar 2017 com cerca de 4.150 crimes de morte, aproximadamente. E um dos principais causadores dessa tragédia é, sem dúvidas, a guerra travada entre duas facções do crime: Guardiões do Estado (GDE) e Comando Vermelho (CV). A disputa por território do comércio de drogas elevam os índices dos Crimes Violentos, Letais e Intencionais (CVLIs) de forma avassaladora.

MARCA DA GUERRA

Essa “guerra” declarada abertamente, através das redes sociais, parece não ter fim e não tem trégua. Na semana passada, o governador Camilo Santana (PT) chegou a anunciar que o estado terá uma plano de combate às facções, mas aproveitou para dizer que este é um problema nacional e não particularmente do Ceará. E foi ainda mais ousado ao bradar, diante de uma grande platéia no Centro de Eventos, que “O Ceará será, no futuro, modelo de Segurança Pública para o país”. Só não disse como isso acontecerá, pois seriam medidas de Inteligência para conter a ação dos criminosos. Mas, enquanto o tal plano não sai do papel, o Ceará vai amargando os altíssimos índices de assassinatos. No feriadão de natal foram cerca de 50 homicídios, alguns com requintes de perversidade e crueldade, como o de uma jovem que foi decapitada e o corpo deixado em via pública. Crueldade esta que é a marca dos crimes da “guerra” de facções.

ATOS DE INDISCIPLINA

O feriadão de Natal não foi bom para a imagem da Polícia cearense. Vários episódios foram registrados e que agora deverão ser apurado pela Controladoria Geral de Disciplina. A começar pelo caso de um inspetor da Polícia Civil que foi preso em flagrante, em Fortaleza, acusado de disparar tiros em via pública e estar dirigindo embriagado. No dia seguinte, foi a vez de um soldado da PM dar um “show” de valentia dentro de um cabaré, em pleno Centro da cidade. Ele não acatou a ordem de prisão de seus colegas, agrediu fisicamente os PMs de serviço e danificou a viatura. Foi levado para a sede da Secretaria da Segurança Pública e Defesa  Social e autuado, em flagrante, por vários crimes civis e militares.  Certamente, será expulso da Corporação em breve, em ato sumário, já que ainda não havia completado os três anos de estágio probatório.

A GUARDA AVANÇA

A Guarda Municipal de Fortaleza (GMF) recebeu novas viaturas para o seu Grupo de Operações Especiais (GOE) e está concluindo o treinamento de tiro para os agentes que irão trabalhar no Plano Municipal de Proteção Urbana (PMPU). Com isso, a corporação ganha espaço qualificado na prevenção e combate à violência na Capital. Ainda na última sexta-feira (22), o vice-prefeito de Fortaleza, Moroni Torgan (DEM) e sua equipe do Conselho Municipal de Proteção Urbana lançaram a fase de teste da Torre de Segurança no bairro Jangurussu. Em janeiro, haverá o lançamento oficial do projeto, pois, além do Jangurrusu, a comunidade das Goiabeiras, na Barra do Ceará, também será contemplada com o serviço que foca a melhoria da segurança nos bairros mais violentos da cidade. Nos meses seguintes, serão implantadas as torres nos seguintes bairros: Vila Velha, Canindezinho e Edson Queiroz (Dendê). Moroni já recebeu o apoio da Secretaria Nacional de Segurança Publica (Senasp), do Ministério da Justiça e da Segurança Pública para levar adiante o PMPU.

DEPUTADO PÉ DE BOI

Deputado federal Cabo Sabino, que está de mudança de partido – sai do PR e vai para o PHS – termina o ano, novamente, como um dos mais atuantes parlamentares brasileiros na área da Segurança Pública no Congresso Nacional. Na Câmara, apresentou 52 projetos, três PECs (Proposta de Emenda à Constituição), 56 requerimentos e cerca de 80 pronunciamentos na tribuna daquela casa. Ele ressalta a aprovação do projeto de sua autoria que obriga a instalação de bloqueadores de sinal de celular nos presídios e penitenciárias brasileiras. “É uma luta da gente, pois entendemos que bloqueando esse sinal nós vamos tirar o poder das facções criminosas que hoje comandam o crime de dentro das unidades prisionais e não mais daqui de fora para os presídios. Na realidade, hoje o sistema (penitenciário) está engolido pelas facções criminosas”.

E TEM MAIS!!!

* Polícia Civil do Ceará de luto. No fim de semana prolongado do natal, um inspetor morreu vítima de um acidente de trânsito. Seu veículo capotou numa estrada em Limoeiro do Norte. Tratava-se do inspetor Diego Sávio Freire Siqueira, 33 anos, que era lotado na Delegacia de Morada Nova.

* Mais duas mulheres foram assassinadas de forma cruel na Grande Fortaleza em decorrência da guerra entre as facções. Uma delas foi decapitada no bairro Conjunto Palmeiras. Outra foi executada com um tiro na cabeça, no Distrito de Pajuçara, em Maracanaú (RMF).

* Setor de Planejamento Operacional da Polícia Militar está com três grandes missões pela frente. A execução do policiamento para o show da Virada do Ano, na Praia de Iracema (onde o público pode superar a marca de um milhão e meio), do Pré-Carnaval e do Carnaval de 2018, que já estão batendo à porta.

* Todas as 16 unidades que abrigam menores infratores estão lotadas. O último levantamento aponta que são cerca de 830 garotos e garotas que cumprem medida socioeducacionais  após  terem praticado atos infracionais, na sua maioria, furtos, roubos, tráfico de drogas e assassinatos.

* E a farra de fugas e resgates no Complexo Penitenciário de Itaitinga teve mais um capítulo no feriadão de Natal. Foram 12 bandidos ligados á facção PCC que escaparam da Casa de Privação Provisória da Liberdade Professor Jucá Neto, a CPPL 3. Nenhum foi ainda recapturado.

E A PERGUNTA DO DIA:  Finalmente, o bandido “Alemão” ficará definitivamente preso em Catanduvas (Paraná) para cumprir o restante de sua pena, ou logo voltará para um presídio no Ceará?

 







Governador Camilo diz que Ceará será modelo de Segurança Pública para o Brasil
Na solenidade de promoção de militares, o governador disse ter elaborado um plano para o estado reunindo "o que há de melhor no Brasil", se referindo a técnicos do Anuário Brasileiro da Segurança
Camilo prometeu reverter a grave crise de violência que domina o Ceará em 2017
query_builder

Tenho absoluta certeza que a médio ou longo prazo nós seremos modelo de Segurança Pública para o país”. A declaração foi feita pelo governador Camilo Santana (PT) durante seu discurso na solenidade de promoção de 1.847 policiais e bombeiros militares, realizada na manhã de ontem (21), no Centro de Eventos do Ceará.

Santana  fez um resumo das iniciativas do governo do estado na área da Segurança Pública nos últimos três anos. Falou da contratação de efetivo, da compra de helicópteros e viaturas, armamentos e munições, e falou também sobre a grave crise de violência que está dominando o estado. “Temos um Plano de Segurança”, disse ele. Mas advertiu: “Não vamos resolver o problema da Segurança somente contratando mais policiais. Temos que trabalhar na prevenção (às drogas), fortalecer a Educação (citou as escolas de  tempo integral), criar espaços para os jovens (falou do projeto das Areninhas), mas chamou a atenção do compartilhamento de responsabilidades.

MÉDIA DO NORDESTE???

Camilo  Santa disse ter sentado à mesa com representantes do Judiciário, do Ministério Público e citou que a questão da Segurança também tem que ter a participação do Município. Para Camilo, sozinho, o governo não vai solucionar a criminalidade e a violência. Sobre o Plano Estadual de Segurança Pública (que não foi ainda levado ao conhecimento público) ele alega ter contratado “o que tem de melhor no país”, citando os responsáveis pelo Fórum Nacional de Segurança Pública. Fechando seu discurso, Camilo bateu num assunto polêmico. Garantiu que está pagando a “Média do Nordeste” para todos os servidores da PM, Polícia Civil, Corpo de Bombeiros e Perícia Forense.  Há quem conteste tal informação.

NOVA DANÇA DE CADEIRAS NA PC

Após duas operações da Polícia Federal, Justiça e do Ministério Público que culminaram em prisões, conduções coercitivas e afastamentos do cargo, envolvendo integrantes da Polícia Civil do Ceará, a instituição passa por uma nova “dança das cadeiras”.  Delegados titulares de distritais e  especializadas estão entregando seus cargos por iniciativa própria ou sendo removidos por determinação da cúpula da corporação. Começou pela Delegacia de Roubos e Furtos (DRF), onde o titular, delegado Raphael Vilarinho, entregou o cargo dizendo estar sendo pressionado pela família para tomar tal decisão. Para completar a “tempestade” na Polícia Civil, um escrivão do 7º DP (Pirambu) foi preso em flagrante com um carro com placas clonadas.

CANDIDATOS DESISTIRAM

Coincidência ou não, a atual situação na Polícia Civil do Ceará, desprestigiada pelo governo estadual e vários de seus membros investigados por crimes diversos como corrupção e tráfico de drogas,  a convocação de aprovados no último concurso sofreu uma baixa. O governo chamou 630 candidatos para iniciarem o Curso de Formação Profissional na Academia Estadual de Segurança Pública (Aesp). A surpresa foi o alto número de faltosos. Desinteresse? Desestímulo? A demora na convocação levou muitos candidatos que estavam no cadastro de reserva a procurar outro trabalho. Muitos fizeram concursos em outros estados e em outras instituições e abandonaram o sonho de entrar para as fileiras da Polícia Civil do Ceará.  Para as classes de inspetor e escrivão tem ainda o componente dos baixíssimos salários que são pagos pelo governo do Ceará a esses profissionais da Segurança.  Assim, dia a dia, a Polícia Judiciária do Ceará vai sendo desmontada.

SEGURANÇA NOS BAIRROS

O Plano Municipal de Proteção Urbana (PMPU) começa a sair do papel e do planejamento. Nesta sexta-feira (22) entra em processo de teste a primeira unidade do sistema que promete levar mais segurança para vários bairros periféricos da Capital cearense. Será no Jangurussu, onde foi erguida a primeira Torre de Segurança blindada e que vai abrigar uma central de monitoramento eletrônico e o comando das operações da Guarda Municipal de Fortaleza e da Polícia Militar. As duas instituições atuarão juntas para policiar o perímetro de cada uma das células de proteção urbana.  Depois do Jangurussu, a próxima comunidade beneficiada com o programa será as Goiabeiras, na Barra do Ceará. As duas células começam a funcionar em janeiro de 2018. Nos meses seguintes, serão implantadas as torres nos bairros Canindezinho, Vila Velha e Edson Queiroz (Dendê).

RECORDE HISTÓRICO DE ASSASSINATOS

Não há mais o que discutir. O Ceará vai fechar o ano de 2017 com o recorde histórico de 5 mil assassinatos. Os números de homicídios no estado entre janeiro e novembro já somavam aproximadamente 4.600 crimes. Com os registros dos 20 dias iniciais de dezembro, os números avançaram e nesta sexta (22), já contabilizavam 4.995 assassinatos, faltando, portanto, apenas mais cinco casos para chegar à marca dos cinco mil. A projeção matemática, baseada na média diária de 14 homicídios, revela que o ano terminará com algo em torno de 5.150 a 5.200 Crimes Violentos, Letais e Intencionais (CVLIs).  Reverter o quadro é a tarefa e o desafio das forças de Segurança Pública para 2018, ano de eleições. Não há dúvidas de que a oposição vai “pintar e bordar” com essa estatística para tentar minar a intenção de Camilo Santana de continuar no comando do Abolição.  O bombardeio já começou na TV.

FORROZEIRA E MADRINHA NA PM

O “mico” da semana na Segurança Pública aconteceu quando a cantora de forró Solange Almeida foi convidada para ser a “rainha” (?) do Batalhão de Choque (BPChoque) na solenidade de promoção de policiais e bombeiros militares, realizada na quinta-feira (21) no Centro de Eventos do Ceará. Solange apareceu com um modelito a estilo militar e até usou uma boina vermelha do BPChoque. Foi cumprimentada pelo governador e demais autoridades presentes ao ato solene. A tropa, porém reagiu. Além de não ter sido consultada a respeito, não aceitou a indicação, pois preferia que a homenagem fosse uma indicação sua. Nem mesmo o comandante do batalhão tinha conhecimento do assunto. Afinal de contas, o que a forrozeira fez para ganhar tal título? Além disso, Solange Almeida é alvo de uma investigação em curso pela Polícia, Justiça e Receita federais por sonegação de impostos e enriquecimento ilícito. O caso ganhou espaço nas redes sociais.

E TEM MAIS !!!

* A Prefeitura Municipal de Fortaleza promete realizar neste ano o maior Réveillon do País. E o aparato de segurança na orla marítima também deverá ser ampliado, com mais homens e equipamentos, como câmeras de vídeo-monitoramento. O plano operacional já está sendo finalizado pela Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS).

* O combate às fraudes contra o seguro DPVAT levou a Polícia a prender uma quadrilha na cidade de Itapajé  (a 154Km de Fortaleza). Estelionatários usam documentos falsos para forjar acidentes e receber ilegalmente  o benefício. Esse golpe parece não ter fim no país.

* Força Nacional de Segurança (FNS) realiza, no momento, 16 operações  em 10 estados. Nesta quinta-feira (21), o governo federal autorizou o deslocamento de mais uma tropa para Natal (RN), onde as polícias Civil e Militar deflagraram greve por falta do pagamento de salários.

* A Guarda Municipal da cidade de Pacajus vai ganhar uma nova sede e está sendo revitalizada após o afastamento do prefeito Flanky Chaves (PP). O atual chefe do Executivo, Bruno Figueiredo (PMB), decidiu reorganizar a instituição para combater  o crime no Município.

* O descalabro continua: para cada preso internado no IJF-Centro são destacados dois policiais militares para realizar a escolta do paciente. No começo desta semana, 64 PMs foram tirados do policiamento das ruas de Fortaleza para vigiar no hospital 32 bandidos doentes.

* Entregue nesta sexta-feira (22), nas vésperas do Natal, o novo helicóptero da frota da Ciopaer, comprado na Alemanha. A aeronave já começa a operar neste feriadão, podendo ser utilizada em operações policiais, socorro a vítimas de acidentes  e emergências médicas.

* Segundo a PRF, neste ano 34 pessoas morreram em acidentes nas rodovias federais (BRs) que cortam o Ceará. Outras 449 ficaram feridas. A corporação registrou 485 acidentes, sendo 124 considerados graves. A BR-116, ou Rodovia Santos Dumont, é a recordista em sinistros.

* Entre os oficiais promovidos nesta quinta-feira (21) na Polícia Militar, está o porta-voz da corporação, o então tenente-coronel (agora, coronel) Andrade Mendonça, oficial dedicado ao trabalho, muito preparado e sempre atencioso às demandas da Imprensa. Parabéns!!!

 E A PERGUNTA DO DIA: Você já fez a revisão em seu carro antes de pegar a estrada neste feriadão de Natal???

 

 

 

 

 







Atentado contra agentes revela poder de fogo do crime organizado no Ceará
Bandidos usam armamento de guerra para demonstrar o poderio bélico de suas facções. Neste ano, o estado já apresenta recorde no número de apreensões de armas de fogo
Armas de guerra, de alto poder letal, estão nas mãos de bandidos no Ceará
query_builder

O atentado sofrido, no último domingo (15), por dois servidores do Sistema Penitenciário do Ceará revela até que ponto o crime organizado vem agindo no estado, com ações audaciosas e violentas que desafiam o poder público e amedrontam a população. Portando armas de guerra – como fuzil e submetralhadora – um grupo criminoso atentou contra a vida da ex-coordenadora do Sistema, Socorro Matias, e seu esposo que também é agente prisional.  As cenas do ataque foram gravadas em câmeras instaladas nas proximidades da residência dos “alvos”, no bairro João XXIII, em Fortaleza, e logo se espalharam através dos aplicativos de celulares e nas redes sociais.

Facções criminosas agem dentro e fora dos presídios cearenses de forma ostensiva e violenta. Não escondem seu poderio de fogo nem poupam munição na hora de mostrar até onde vão quando é hora de matar.  Três dias depois, veio a providência do estado, com o anúncio de que armas de fogo (pistola) serão cedidas aos agentes penitenciários para sua proteção pessoal. Esses trabalhadores atuam numa área de altíssimo risco, pois são os responsáveis por impor a disciplina em presídios loteados por facções e onde estão bandidos de altíssima periculosidade, como traficantes de drogas, assassinos e assaltantes de bancos e carros-fortes. Formam a “nata” da marginalidade e não aceitam regras. Assim, os agentes são constantemente ameaçados. A providência tomada pelo estado vem em boa hora. É preciso que estes servidores tenham o mínimo de proteção estatal.

FACÇÕES SITIAM A CIDADE

Assim como no episódio envolvendo os agentes penitenciários, a população também está refém da bandidagem. Isso vem acontecendo em todas as áreas da região periférica de Fortaleza onde as facções implantaram terror. Bairros e comunidades como a Rosalina (Parque Dois irmãos), Palmeiras (Jangurussu), Goiabeiras (Barra do Ceará), Cais do Porto (Mucuripe), Floresta (Álvaro Weyne), Ancuri (Grande Messejana) e tantos outros hoje estão dominadas pelos grupos armados que se dizem ligados ou subordinados às ordens das facções  Comando Vermelho (CV), Guardiões do Estado (GDE), Família do Norte (FDN) ou Primeiro Comando da Capital (PCC).  Nas Goiabeiras, há cinco dias os moradores estão acusados dentro de casa temendo os confrontos armados entre bandidos. O “olho do furacão” fica no entorno da Areninha do bairro, onde na sexta-feira passada (15), um adolescente de 14 anos foi morto por membros de um dos grupos criminosos.  São situações que desafiam o poder de Polícia do estado e deixam a população refém.

ARSENAL TIRADO DAS RUAS

Saiu mais uma estatística da Segurança Pública do Ceará. Aumentou o número de armas de fogo apreendidas pelas forças policiais neste ano em comparação a 2016. O aumento é da ordem de 27 por cento, segundo as estatísticas da SSPDS  divulgadas na última sexta-feira (15). Segundo o órgão, entre janeiro e dezembro deste ano, foram confiscadas pela Polícia, nada menos, que 6.209 armas, enquanto no período igual de 2016, foram apreendidas 4.885.  Isso mostra que a Polícia vem agindo de forma sistemática no combate ao crime, mas revela também o poderio bélico que está nas ruas e, em sua maioria, nas mãos de criminosos. A Polícia Militar tem feito um trabalho fundamental neste campo, especialmente as patrulhas das chamadas “forças especiais”: Força Tática (FT), Batalhão de Choque (BPChoque), Batalhão Raio (BPRaio), Batalhão de Divisas (BPDIV), Batalhão de Policiamento Turístico (BPTur), de Policiamento do Meio Ambiente (BPMA)  e Batalhão do Policiamento Rodoviário Estadual (BPRE).

DELEGACIAS PRECÁRIAS

Um relatório minucioso, preparado nos últimos meses, mostra a grave situação em que se encontra a Polícia Judiciária do Ceará.  Promotores de Justiça saíram de seus gabinetes e foram visitar as delegacias de Polícia Civil da Capital, Região Metropolitana de Fortaleza (RMF) e do Interior. O que viram e presenciaram não foi nada de bom.  Das 166 delegacias da PC no Ceará, apenas 14 delas possuem um efetivo condizente com a carga de trabalho a ser tocada. Nas demais, a defasagem de efetivo é gritante. A falta de delegados, inspetores e escrivães impede que as unidades possam oferecer um serviço de qualidade para a população. Na Capital, a falta de pessoal faz com que das 35 distritais, apenas nove funcionem em regime de plantão 24 horas, No Interior, a situação é ainda pior. Das 20 Regionais, só 11 não fecham as portas à noite e nos fins de semana e feriados.  O recente anúncio do governo de convocar 630 aprovados no concurso de 2014 não atende, nem de longe, a necessidade de reposição de efetivo. E para 2018 a situação vai se agravar com um batalhão de delegados que irão se aposentar após garantir melhoria salarial com a elevação da categoria ao quadro das carreiras jurídicas. Aguardem.

RECORDE TRÁGICO

A gestão de Camilo Santana (PT) à frente do Palácio da Abolição já se constitui como recordista no número de mortes de agentes da Segurança Pública. Falta ainda um ano de administração, mas no período de 1º de janeiro de 2015 até a presente data, já foram mortos no estado, nada menos, que 78 servidores, entre policiais civis, policiais militares, bombeiros militares, policiais rodoviários federais, agentes penitenciários e guardas municipais. Somente neste ano, são 21 PMs, um inspetor da Polícia Civil, um bombeiro militar e seis guardas municipais. Isso sem contar as dezenas de agentes que todos os dias são assaltados e feridos por bandidos. A mais recente vítima fatal desta violência foi o sargento PM Izaías dos Santos Lima, que tombou após ser baleado no atendimento à uma ocorrência na cidade de Milhã (a 300Km de Fortaleza). Ele e sua patrulha tentaram impedir o resgate de presos da Cadeia Pública. Izaías foi baleado pelos criminosos e não resistiu.

CRIME DE INTOLERÂNCIA

Mais um crime de intolerância foi registrado pela Polícia em Fortaleza, mas, por não ter sido filmado, não teve a mesma repercussão do Caso Dandara. O fato ocorreu no último fim de semana, quando um homossexual foi espancado, arrastado pelas ruas e morto a tiros na comunidade Jardim Jatobá, no Grande Bom Jardim. O travesti conhecido por “Canoa”, cuja identidade verdadeira era José Claudionor Ribeiro pereira, 29 anos, foi executado sumariamente.  Até agora, a Polícia não revelou nomes de suspeitos do crime. Coincidentemente ou não, os dois casos citados ocorreram no chamado “Território da Paz”.  Mas de paz, o Grande Bom Jardim não tem nada. Os índices de violência ali são altíssimos. Recentemente, o governo implantou no bairro uma Unidade Integrada de Segurança (Uniseg). A população torce para que isso, ao menos, diminua os crimes.

E TEM MAIS!!!

* Até o fim da semana, o Ceará pode alcançar o número de 5 mil casos de homicídios. Nesta quarta-feira, o estado já registra 4.968 casos.  Assim, já foi batido o  recorde histórico da violência no estado. Foi em 2014, quando foram registrados 4.439 homicídios, até então a pior marca da violência local.

* Uma operação realizada pelas polícias Civil e Militar na cidade de Jaguaribe (a 300Km de Fortaleza) nesta terça-feira, resultou na prisão de várias pessoas acusadas ou suspeitas de envolvimento com crimes diversos, principalmente tráfico de drogas e assassinatos naquele Município.

* De “vento em popa” a operação “Centro Seguro” na Malha Central de Fortaleza. O reforço no policiamento à pé e motorizado tem surtido efeito positivo. Quem caminha pelo Centro presencia dezenas de policiais militares fazendo a vigilância. Bom também para os comerciantes e empresários.

* Guardas municipais de Fortaleza estão em pleno treinamento para atuarem no Plano Municipal de Proteção Urbana. O PMPU entra em faze experimental já neste mês, na Barra do Ceará e Jangurussu. Os guardas usarão pistolas e carabinas de calibre 12 (escopetas) no trabalho ostensivo.

* A cúpula da Segurança Pública ainda não definiu quem vai substituir o delegado Raphael Vilarinho no comando da Delegacia de Roubos e Furtos (DRF). Ele decidiu solicitar exoneração do cargo, diante dos pedidos de sua família.  A DRF lida diretamente no combate aos assaltos a bancos e carros-fortes.

* Deve chegar a Fortaleza nos próximos dias o primeiro de dois helicópteros alemães comprados pelo estado para reforçar a frota de aeronaves da Coordenadoria Integrada de Operações Aéreas (Ciopaer). Custou, cada um, cerca de R$ 41 milhões. O segundo chega somente em 2018.

E A PERGUNTA DO DIA: Secretário André Costa será mesmo candidato nas eleições de 2018???

 

 







Operações sigilosas mostram o crime avançando dentro da Polícia do Ceará
Em apenas duas semanas, duas investigações comprometeram a imagem da Segurança Pública cearense, com prisões, indiciamentos e denúncia contra servidores das polícias Civil e Militar
Policiais civis e militares acabaram presos em duas operações do Ministério Público
query_builder

Pela segunda vez em duas semanas, a imagem da Segurança Pública do Estado do Ceará sai arranhada diante de investigações que apontam o suposto envolvimento de agentes públicos com corrupção e organizações criminosas. Foram duas operações, uma da Polícia Federal e outra do Ministério Público Federal, denominada de “Vereda”. A segunda, batizada de “Saratoga”, realizada pelo Ministério Público Estadual (MPE) em parceria com a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS). Em ambas, policiais civis acabaram presos, outros conduzidos coercitivamente e alguns já indiciados em inquéritos  ou denunciados à Justiça.

O ano de 2017 com certeza ficará marcado para a Segurança Pública não apenas pelo registro recorde e histórico de assassinatos no estado (em torno de 5 mil mortos), mas do aprofundamento de investigações que descortinaram a participação de servidores das corporações subordinadas ou vinculadas à SSPDS em extensas teias criminosas. Bom que se diga, porém, que nenhum deles foi ainda julgado ou condenado e, portanto,  estão na condição de “investigados” ou “processados”.

QUADRILHAS INVESTIGADAS

No caso da “Operação Vereda”, a Polícia Federal prossegue nas investigações que apontam, a princípio, a formação de uma célula criminosa dentro da Divisão de Combate ao Tráfico de Drogas, a DCTD, ou Denarc.  Os agentes teriam montado uma quadrilha para extorquir traficantes e, para isto, se associaram a falsos policiais os chamados “almas”.  Quebra de sigilo telefônico, videomonitoramento e outras ferramentas investigativas mostraram o grau de envolvimento de policiais na trama.  Contudo, a PF ainda prossegue na apuração.

Já na “Operação Saratoga”, as coisas estão bem mais adiantadas e um delegado da Polícia Civil, policiais civis e militares já foram denunciados formalmente pelo MPE junto à Comarca de Caucaia, na Região Metropolitana de Fortaleza (RMF) e se tornaram réus no processo que apura o envolvimento deles com quadrilhas ligadas à facção criminosa paulista PCC (Primeiro Comando da Capital).

DELEGADAS FALAM

No auditório da Associação dos Delegados de Polícia Civil do Ceará (Adepol), no Centro de Fortaleza, uma coletiva de Imprensa foi realizada na tarde desta quinta-feira (14) com um objetivo: dar voz a duas delegadas que tiveram seus nomes incluídos na “Operação Vereda”. Patrícia Bezerra e Anna Cláudia Nery. Ao lado do presidente da entidade, Milton Castelo, e do advogado da instituição, Leandro Vasques, as duas servidoras se declararam inocentes e injustiçadas diante das acusações de envolvimento com a “máquina de extorquir” montada dentro da DCTD. Foram enfáticas ao ressaltar o trabalho árduo na luta contra as drogas e, especialmente, a falta de provas de que elas estariam metidas no crime. E têm razão. Até agora, pelo menos, na investigação da PF não constam provas de que ambas eram beneficiadas ou omissas com a patifaria dos maus policiais.  Resta agora saber se até o fim da investigação, e em sendo comprovada a inocência, elas voltarão aos seus cargos e restituídas de sua imagem de delegadas exemplares. Justiça terá que ser feita.

“CEBOLA” FINANCIA CRIMES E FACÇÕES

No aprofundamento da “Operação Saratoga” ficou mais uma vez comprovado que o comando do crime organizado no Ceará está instalado no coração do Sistema Penitenciário local. Dentro dos presídios da Região Metropolitana de Fortaleza (RMF)  estão os chefes de quadrilhas e de facções criminosas que mandam e desmandam. São eles os responsáveis pela ordem para seqüestrar, extorquir, ameaçar, roubar e matar.  “Coma análise das interceptações telefônicas autorizadas judicialmente, foram identificados vários integrantes do PCC no Ceará, bem como, foi constatado que alguns componentes do (facção) Primeiro Comando da Capital – PCC, possuem o seu próprio grupo criminoso que atua de forma regional  e delimitada geograficamente, mas não menos prejudicial, embora devam fidelidade à organização criminosa através do pagamento da “cebola” (espécie de mensalidade paga pelos que estão fora da prisão), ou da compra, venda e distribuição de drogas e armas, em conjunto”, relatou o Ministério Público Estadual.

O CHEFÃO E OS CRIMES

Leandro de Sousa Teixeira. Este é nome do bandido que comanda o PCC no Ceará. E com ele, outros criminosos já bastante conhecidos da Polícia cearense movimentam muito dinheiro na venda e distribuição de drogas entre os presídios. As negociações correm soltas através dos telefones celulares nas mãos dos criminosos. Eles especificam a quantidade de cocaína que têm para vender, estabelecem os preços e até data e hora de entrega. Dizem como e quem fará a entrega e como arrecadar o dinheiro. E assim, o crime organizado vai avançado no Ceará e as execuções sumárias nas ruas aumentando dia a dia, através das ordens dos “chefões”. Quem “fura” o esquema, morre. Daí os crimes misteriosos que ocorrem todos os dias, com corpos decapitados, esquartejados, mutilados ou carbonizados deixados em favelas, matagais, estradas, terrenos baldios ou mesmo em vias públicas. O estado paralelo do crime avança a galope no estado.

MEDALHA DE PRATA

Um consolo para os gestores da Segurança Pública do Ceará. O estado ficará com a “Medalha de Prata” no ranking dos assassinatos no Brasil em 2017. Isso porque nesta quinta-feira (14), Pernambuco alcançou a marca dos 5 mil homicídios no ano. No Ceará, o “Homicidômetro” registrou até a manhã desta sexta-feira (15), 4.908 crimes. Mas antes do Natal (faltando 10 dias)  o Ceará também vai alcançar a triste marca. Será o “presente de grego” que a população receberá. A guerra travada entre as facções criminosas Comando Vermelho (CV) e Guardiões do Estado (GDE) acelera essa macabra contagem de defuntos, as vítimas da violência. Resta agora esperar a chegada de 2018 para o governo tentar reverter tal situação. A cobrança será alta no ano de eleições. O modelo de segurança cearense (se é que tem um) fracassou. Depois do “Ceará Pacífico” veio agora o “Ceará Pacífico em Ação”.  Qual será o próximo???

BANCOS SEGUROS

Agências bancárias no Ceará terão que se adequar à lei sancionada pelo governador Camilo Santana   nesta quarta-feira (14), que prevê maior rigor na segurança. Contudo, as instituições financeiras (a exemplo do que fizeram as operadoras de celular quando da lei estadual que estabeleceu o bloqueio de sinal de celulares nos presídios) deverão recorrer à Justiça ou mesmo ignorar a nova legislação, já que segurança bancária é estabelecida em lei federal e fiscalizada pela PF. Sinal disso é que nenhum representante dos bancos esteve na solenidade de assinatura da lei.  Pela regra estabelecida, as agências  terão que contar com botão de pânico, cabine blindada para os seguranças,  biombos para impedir a visão do que ocorre nos caixas, inutilização de cédulas no caso de explosão de caixas eletrônicos, portas com vidros laminados resistente a ao impacto de tiros, além de porta eletrônica de segurança, giratória e individualizada, entre outros recursos.

E TEM MAIS:

* A exemplo do que já havia ocorrido em Juazeiro do Norte e Sobral, o Município de Pacajus, na Região Metropolitana de Fortaleza (RMF) já ultrapassou o registro de 100 homicídios em 2017. A matança ali não tem fim, por conta da guerra entre duas quadrilhas de traficantes de drogas.

* Um jovem de 18 anos foi a mais recente vítima de execução sumária ordenada por traficantes que comandam a cracolândia da favela do Oitão Preto, em plena zona central de Fortaleza. Foi morto, a tiros, na madrugada de quinta-feira, na esquina das ruas Doutor João Moreira e General Sampaio.

* No próximo dia 22 a Prefeitura de Fortaleza vai inaugurar as duas primeiras células do programa Municipal de Proteção Urbana (PMPU). São duas torres de comando da segurança que estão sendo instaladas na Praça do Jangurussu e ao lado da Areninha das Goiabeiras, na Barra do Ceará.

* Mais atuante do que nunca, o Conselho Estadual da Segurança Pública, sob a presidência do advogado criminalista Leandro Vasques, se reuniu nesta sexta-feira (15) no Palácio da Abolição. Foi a vez da Secretária de Justiça e Cidadania, Socorro França, ser ouvida sobre sua gestão na Sejus.

* Estradas cearenses (federais e estaduais) têm registrado, nas últimas semanas,  altos índices de acidentes com mortes. A maioria dos sinistros foi ocasionada por colisões frontais em decorrência de ultrapassagens em locais proibidos. Manobras desse tipo geralmente não terminam bem.

* A PERGUNTA DO DIA: Chegamos à metade do mês de dezembro, quando a SSPDS vai divulgar os índices oficiais dos CVLIs (Crimes Violentos, Letais e Intencionais) de novembro???