Sete dias da semana sem medo da notícia

Ciro quer taxar riquezas e Estado forte, mas garante: “não precisa ter medo de mim”
O presidenciável está distribuindo ataques ao mercado financeiro certo de que é isso que os eleitores querem
07/03 16:18

O presidenciável Ciro Gomes (PDT) está convencido de que os eleitores brasileiros querem, apesar da recessão nos últimos anos de governo PT, um Estado forte e não se acanha a enviar todos os sinais negativos ao mercado financeiro.

Ciro leva a sério a ideia do “golpe” contra a ex-presidenta Dilma Rousseff (PT) e propõe, caso seja eleito, a expropriação de todos os campos de petróleos vendidos desde o impeachment da petista, com uma compensação adequada. O mesmo valeria caso a privatização da Eletrobras seja confirmada.

O pedetista fala ainda em taxação das grandes fortunas, para combater a concentração de renda, já que, para ele, o “Brasil é um país sangrado por uma plutocracia rentista”. Além disso, Ciro ainda propõe mudanças no sistema tributário brasileiro, acabando com as desonerações corporativas.

Sobre o déficit da Previdência, Ciro afirma que irá cortar os privilégios de funcionários públicos. O presidenciável, após anunciar as medidas, em palestra no escritório da Bloomberg, garante que “ninguém precisa ter medo de mim”.



*Publicidade

Publicidade


Leia Também

Links Patrocinados