Sete dias da semana sem medo da notícia

Cid acusa MPF de induzir Wesley Batista a incriminá-lo em propinas da JBS
Ex-governador ainda criticou a PGR, Raquel Dodge, por seu parecer para dar sequência às investigações contra o pedetista


query_builder

O ex-governador Cid Gomes (PDT) acusou, nesta sexta-feira (12), em entrevista à rádio Tupinambá, o Ministério Público Federal e os promotores envolvidos nos depoimentos do empresário Wesley Batista, dono da JBS, de induzir o delator a afirmar que as doações feitas pela empresa à campanha de Cid e de seus aliados também eram propina.

“Ele [Wesley Batista] saiu pegando tudo que foi, não foi só meu nome não, ele citou o nome de cem pessoas, cem não, duas mil pessoas dizendo que tudo que eles [JBS] fizeram de contribuição era propina, estimulado pelo Ministério Público. Você vê assim, uma pessoa diz aí ao fundo: ‘Quer dizer que mesmo sendo contribuição oficial era propina?’, quem pergunta assim, induzindo o cara a dizer, é o próprio Ministério Público.”, disse Cid sobre o vídeo do depoimento de Wesley na delação.

Wesley Batista acusou, em sua delação premiada, Cid Gomes de ter cobrado R$ 25 milhões em propina para liberar créditos retidos da JBS junto ao Governo do Ceará, em 2014, quando o pedetista ainda era governador. Parte do dinheiro foi repassado através de doações registradas junto ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE). O restante teria sido feita através de notas frias.

Criticas à PGR

Cid ainda ironizou o parecer da procuradora geral da República, Raquel Dodge, endossando a acusação do delator Wesley Batista a respeito do pagamento de R$ 25 milhões em propina. Raquel entendeu que o empresário usou de “figura de linguagem” ao afirmar que não havia recebido “nenhum centavo” do Governo do Ceará nos anos de 2011, 2012 e 2013, quando foram repassados um total de R$ 41 milhões.

O ex-governador entrou com um processo contra Wesley devido a afirmação e apresentou provas do repasse total de R$ 41 milhões entre 2011 e 2013. No entanto, para a procuradora, o fato de, em três anos, o Governo repassar apenas R$ 41 milhões e, somente em 2014, repassar R$ 110 milhões corrobora para a versão de Wesley, que afirma ter sido extorquido pelo pedetista.

“Ele diz: ‘não recebi nenhum centavo’, e sabe quanto ele recebeu nesses outros anos? Mais de R$ 40 milhões. Aí o Ministério Público diz que, para, naturalmente, manter a sua tese, que isso é uma figura de linguagem”, ironizou Cid.

Cid acusa MPF de induzir Wesley Batista em depoimento:

Cid critica PGR, Raquel Dodge, por parecer:

 

Confira a entrevista de Cid Gomes à rádio Tupinambá: