Sete dias da semana sem medo da notícia

Donizete Arruda
Jornalista
Demagogia de Ciro cresce todo dia
Demagogia de Ciro cresce todo dia

Ciro Gomes propaga não votar em Eunício, alegando que o presidente do Congresso é do MDB. Pura balela. Ciro e o PDT estão aliados ao MDB em sete estados brasileiros, inclusive no Amapá, onde o ex-presidente José Sarney é eleitor do governador pedetista Valdez Gois, candidato a um novo mandato.

Em Alagoas, Ciro se uniu ao senador Renan Calheiros e, juntos, defendem a continuidade de Renan Filho no Governo e novo mandato para o pai dele. Como se percebe, Ciro trava uma briga pessoal com Eunício, e sua revolta cresceu após ele ser desmoralizado pelo governador Camilo. Na queda de braço, Camilo provou: quem manda na política do Ceará, hoje, é o Governador. Ciro tem que engolir isso.


Camilo provocou racha dos FGs
Camilo provocou racha dos FGs

O governador Camilo Santana tem uma nova marca para apresentar em sua campanha à reeleição: coragem. Enfrentou os irmãos Ciro e Cid Gomes, e os derrotou. Na segunda (13), na largada de sua campanha à presidência, em Fortaleza, Ciro declarou que só vota em Cid para o Senado, e que procura um segundo senador para votar.

A divisão na oligarquia Ferreira Gomes é real. Cid e seu irmão, o prefeito de Sobral, Ivo Gomes, romperam com Ciro, e já anunciaram que seguirão Camilo e votarão em Eunício Oliveira como segundo senador. A irmã, Lia Gomes, fica com Ciro e não vota em Eunício. Já o secretário Lúcio Gomes, da Infraestrutura, para proteger o emprego, também tende a votar em Eunício.


Argemiro e Fernando sob bandeira branca
Argemiro e Fernando sob bandeira branca

O prefeito de Barbalha, Argemiro Sampaio, foi pego de surpresa com o convite do petista Fernando Santana para conversar sobre a pauta de investimentos para o Município. Fernando sugeriu que Argemiro aceitasse uma parceria com o Governo do Estado para viabilizar obras para o Município.

Com o sinal verde do tucano Argemiro, a conversa aconteceu na casa do prefeito, com a presença do sub-chefe da Casa Civil, Quintino Vieira, e do vereador Rildo Teles. Para garantir que não haveria discordância entre o que foi acordado e o que poderia sair para a população como definição, tanto Fernando quanto Argemiro transmitiram a conversa ao vivo pelos seus perfis nas redes sociais.

No acordo fechado, Barbalha deve ganhar de imediato três areninhas, três brinquedopraças e outras obras de pavimentação. Para garantir a contrapartida, Argemiro teve que abrir mão de um projeto próprio.


Samuel abandona PSDB e oposição
Samuel abandona PSDB e oposição

O ex-prefeito do Crato, Samuel Araripe, reuniu, no fim de semana, seus apoiadores no tradicional Crato Tênis Clube. No encontro, Samuel anunciou seus votos para 2018. Vai votar em Denis Bezerra para federal e dividir a base para estadual. Denis é filiado ao PSB, partido da base aliada do governador Camilo Santana.

Os outros nomes são o petista Fernando Santana e o pedetista Guilherme Landim. No Crato, Cícero França deve coordenar a campanha de Fernando, enquanto o ex-vereador Guer assumirá a campanha de Guilherme Landim. Sobre a decisão, Samuel não deu maiores motivos. Deixou implícito esperar em troca a neutralidade do Governo Camilo na eleição municipal de 2020. Na verdade, Samuel quer indicar o vice na chapa apoiada à Prefeitura.


Câmara pressiona firmemente a Bender
Câmara pressiona firmemente a Bender

Mais uma vez, o empresário Gilmar Bender está envolvido em polêmica. Bender terá que provar à Câmara de Juazeiro do Norte que ele e a empresa Carajás Home Center falaram a verdade ao prometer mais de 500 empregos para a população da cidade. As contratações não passaram de 200. O problema não é mentir para os vereadores e ao povo juazeirense.

A dor de cabeça maior para Bender está no fato da promessa ter sido garantida em contrato, aprovado pela Câmara e não cumprida pela empresa. Essa mentira da Carajás Home Center deve custar caro: no plenário do Legislativo, há quem radicalize e peça a imediata abertura de processo para anular a doação da rua à Bender, para viabilizar a construção desse empreendimento paraguaio.

Contudo, para não aumentar a crise, vereadores resolveram dar tempo a Bender e a Carajás: terão dois anos para gerar os 500 empregos. Esse o prazo do contrato. Se até novembro de 2019 não cumprirem o que está escrito, a Câmara pedirá a anulação da doação. Esse episódio implode as chances políticas de Bender.


Cid tira PTB do blocão ao lado do PDT
Cid tira PTB do blocão ao lado do PDT

Estranhamente, o todo poderoso Cid Gomes não incluiu o PTB do prefeito Arnon Bezerra no blocão que pretende eleger 16 dos 22 deputados federais cearenses. A exclusão do PTB passou longe de uma discussão com o governador Camilo ou mesmo com o próprio Arnon.

Cid decidiu que o blocão será formado pelo PDT , PP, PR, DEM e partidos menores como PSB, PCdoB, PHS. O PT definiu que sairá sozinho. O mesmo Cid resolveu que o PTB sairá com o PV, o PSC e o MDB. Arnon ainda não se manifestou sobre essas coligações.


Ciro prepara golpe para anistiar todos
Ciro prepara golpe para anistiar todos

Durante suas articulações com as direções do DEM, PP, PR, Solidariedade e PRB, o presidenciável Ciro Gomes confessou que, se conseguir a adesão desses partidos e for eleito em outubro presidente do Brasil, irá dar um basta na Lava Jato. O juiz Sérgio Moro não irá mais permanecer prendendo ninguém. Essa é a promessa de Ciro, que se comprometeu até a anistiar dezenas de políticos envolvidos com corrupção.

A idéia não é apenas de Ciro. O presidente Michel Temer, juntamente com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, e o senador Aécio Neves, articulam uma anistia ampla e geral para todos os políticos corruptos. Quem está mais interessado nessa anistia é Cid Gomes, que se for beneficiado com ela, concorrerá ao Senado. Cid crê que a memória do povo cearense é curta, e essa manobra suja não irá atrapalhá-lo se for imposta pelos caciques em Brasília.


Cid Gomes vive cerco pela Lava Jato
Cid Gomes vive cerco pela Lava Jato

Cid Gomes pensa em ser apenas o coordenador da campanha de Ciro Gomes. Não irá se envolver nem na campanha do governador Camilo Santana. Tanto, que o marqueteiro de Ciro será Manoel Canabarrro, investigado por ter recebido propina da JBS via Cid. Camilo demitiu Canabarro e ainda não anunciou quem será seu marqueteiro. O nome mais cotado é de Fabner Utida. Nada está confirmado. O temor de Cid é justificado.

Na sexta passada, o empresário Joesley Batista, da JBS, foi mais uma vez denunciado por fraudes generalizadas. Joesley confessou ter pagado R$
24 milhões e mais U$ 1 milhão a Cid.

Não bastasse esse crime, surgiu outra delação que pode atingir em cheio o ex-governador cearense: o doleiro Mario Cursini denunciou que, em 2007, pagava U$ 1 milhão de propina a políticos cearenses, a mando das empreiteiras OAS e Camargo Correia. Para onde Cid se vire tem escândalo.


Ação se justifica para proteger Lula e Cid
Ação se justifica para proteger Lula e Cid

O gesto de Guimarães e André é facilmente explicável. Ao bancarem uma CPI na Câmara dos Deputados contra a Lava Jato, os dois caciques do PT e do PDT querem se credenciar para tirar Lula da cadeia e barrar a continuidade das investigações contra o ex-governador Cid Gomes. Desse modo, ganham a simpatia dos Ferreira Gomes e votos para suas reeleições.

Porém, a situação de Lula é desconfortável. O Supremo Tribunal Federal (ST F) cancelou o julgamento de seu habeas corpus, marcado para esta terça. Assim, Lula continuará preso por mais uma longa temporada. Já Cid vive aterrorizado com medo de ser preso a qualquer momento.

A transferência do processo dos desvios da cervejaria Itaipava para Curitiba, aos cuidados de Sérgio Moro, tem tirado o sono de Cid. Sua agonia é tão grande que ele tem repetido a vários interlocutores sua disposição de sequer ser candidato este ano.


Lava Jato continua na pauta da Câmara
Lava Jato continua na pauta da Câmara

O presidente Rodrigo Maia deve anunciar, ou não, esta semana, a instalação da CPI da Lava Jato. Dos 11 deputados federais do Ceará que assinaram o pedido para implementar essa comissão, que tem o objetivo de implodir as investigações contra a corrupção no Brasil, somente dois não recuaram em suas intenções e se mantêm firmes para barrar as investigações comandadas pelo juiz Sérgio Moro.

A dupla com forte presença política no Cariri terá de dar justificativas por não querer que os políticos do Brasil fiquem impunes ao desviarem recursos públicos é formada pelo petista José Guimarães e pelo o líder do PDT , André Figueiredo. Guimarães alega que nenhuma CPI tem poder de barrar o combate à corrupção. Já André tem permanecido em silêncio.


Guilherme Landin trabalha pessoalmente
Guilherme Landin trabalha pessoalmente

O pré-candidato a deputado estadual, Guilherme Landim (PDT), está tendo de evitar conflitos nos seus nove colégios eleitorais no Cariri.

Os prefeitos que votam nele passam por desgastes e não estão conseguindo juntar lideranças para alavancar a sua candidatura e a do deputado federal Antonio Balhamm, implicado no recebimento de propina da JBS.

Destemido, o próprio Guilherme tem viajado por todo Cariri para buscar seus votos, pois sabe que não pode vacilar num ano eleitoral onde a população resiste em votar.

 


Fernando muito solidário ao Leitão
Fernando muito solidário ao Leitão

Apesar de estarem concorrendo ao mesmo cargo, os pré-candidatos Fernando Santana e Leitão Moura têm demonstrado muitas afinidades.

Durante a abertura das festividades de aniversário do município do Crato, Fernando observou que Leitão chegou e não foi convidado para subir ao palanque das autoridades.

A falha da organização deixou Leitão intimidado. Ao ver Leitão deslocado, Fernando desceu, trouxe para o palanque e o colocou na frente.

Ao lado do prefeito Zé Ailton Brasil, do deputado André Figueiredo e vários vereadores, Leitão acabou sendo um dos mais prestigiados.

Fernando afirmou que Leitão é um nome de grande qualidades para representar o Cariri na Assembleia Legislativa. Fernando, Leitão e Rafael Branco disputam o apoio do prefeito Zé Ailton.


Cid entrega relação de partidos a MDB
Cid entrega relação de partidos a MDB

Como não haverá coligação majoritária entre PDT, PT e MDB, Cid Gomes entregou ao Abolição os quatro partidos que podem se aliar formalmente com o candidato à reeleição Eunício Oliveira. As legendas apontadas por Cid e avalizadas por Ciro Gomes para essa tarefa são: PR, da deputada federal Gorete Pereira, PSC , PV e o PTB do prefeito de Juazeiro do Norte, Arnon Bezerra. Nenhuma outra sigla se coligará formalmente com o MDB. E, sim, participarão do chapão comandado por PT e PDT. Na luta pela Câmara dos Deputados, o PT sairá sozinho, e o PDT liderará mais de uma dezena de siglas.


Camilo versus Ciro: guerra ao MDB
Camilo versus Ciro: guerra ao MDB

Camilo Santana sabe que enfrentará muitas dificuldades em sua campanha à reeleição. Eunício Oliveira cobra dele uma aliança formal. Essa hipótese está fora de cogitação para os FGs, pois alegam que essa junção atrapalha o projeto presidencial de Ciro Gomes. Camilo terá que administrar, ainda, a virulência de Ciro contra seu segundo candidato ao Senado.

Ciro declarou que seu maior objetivo na disputa presidencial é “destruir o MDB” e, se eleito, quer que o partido vá para a oposição. Essa atitude de Ciro atrapalha os planos do Governador. Porém, Ciro se mostra irredutível em aliviar os ataques ao MDB nacionalmente. Resta a Camilo, desviar do assunto, ou sair em defesa de seu aliado. Por ora, está evitando o confronto com Ciro e apelando a Cid para conter a língua solta do irmão. Contudo, Cid não se mostra convencido a cumprir essa missão.


Termos de acordo para o Senado
Termos de acordo para o Senado

Cid Gomes comunicou ao governador Camilo Santana que tanto ele quanto Ciro Gomes não admitirão uma aliança formal entre PDT – PT e MDB nas eleições deste ano. Essa decisão é irrevogável e a Camilo cabe anunciar o rumo político dos irmãos FGs aos seus aliados. Cid também cedeu ao Governador.

Foi flexível: o PDT não lançará dois candidatos ao Senado. Apenas um: o próprio Cid, deixando aberta a outra vaga para um acordo informal com o MDB. Ocorre que o candidato Eunício Oliveira, fruto da união construída pelo Governador, não poderá aparecer ao lado de Ciro e Cid Gomes, e nem na propaganda eleitoral gratuita.


Ciro furioso com André Figueiredo
Ciro furioso com André Figueiredo

André Figueiredo é um dos parlamentares votados em vários municípios do Cariri. Poderia estar liderando uma cruzada pela moralidade no Ceará e no Brasil. Nada disso. Ao contrário, aposta na bandeira “Vamos enterrar a Operação Lava Jato” como estratégia para convencer o eleitor a reelegê-lo. Uma estratégia de alto risco, que deixou indignado o candidato de seu partido ao Planalto, Ciro Gomes.

Agora, Ciro terá que dar explicações aos meios de comunicação porque o PDT é contra investigar a corrupção no Brasil. Terá que comprovar que esse gesto do André nada tem a ver como uma articulação dele para salvar o irmão Cid, que está todo comprometido com a podridão da Lava Jato. Todo caririense sabe, que Cid está denunciado no escândalo da JBS, por ter supostamente embolsado uma propina de R$ 24 milhões e mais U$1 milhão.

O destino de toda essa dinheirama é uma incógnita. Essa postura inesperada de André Figueiredo, a favor de encobrir a corrupção no País e de querer destruir a Lava Jato, se unindo ao deputado José Guimarães no combate ao juiz Sérgio Moro, constrange o seu principal aliado, o prefeito do Crato, Zé Ailton Brasil.


Identifique quem está na sujeira
Identifique quem está na sujeira

Essa podridão contra as investigações da Lava Jato em Brasília conta com a adesão de 10 deputados federais do Ceará. Espertamente, Cid e seu irmão presidenciável Ciro Gomes não deixaram que nenhum parlamentar próximo a eles, assinasse a CPI que busca acabar com as investigações para colocar na prisão os corruptos.

A falha que fugiu ao controle dos FGs foi a assinatura do líder do PDT, André Figueiredo. Os outros nove nomes são de deputados federais mais independentes e até da oposição, o tucano Raimundo Gomes de Matos.

Quem mais colaborou com o esforço para implantar a CPI que visa acabar com a Lava Jato é o PT, com três assinaturas: Guimarães, Zé Airton Cirilo e Luizianne Lins. E um ex-petista, hoje no PSB, Odorico Monteiro também assina.

Leia a coluna completa na edição desta semana do Jornal do Cariri:

 


Todos a favor da corrupção
Todos a favor da corrupção

Surge um movimento nacional na Câmara dos Deputados, com a simpatia dos Ferreira Gomes, para implodir a continuidade das investigações da Operação Lava Jato. Essa a única alternativa para salvar Cid da cadeia, uma condenação que se aproxima cada vez mais.

A manobra, elaborada por líderes dos principais partidos, tais como o petista cearense José Guimarães, consta da criação de uma CPI na Câmara Federal para ameaçar juízes, procuradores e delegados federais envolvidos com a Lava Jato.

Ou essa turma que comanda a apuração para de ir atrás da corrupção dos políticos – governadores, ex-governadores, senadores, deputados, ministros, ex-ministros e autoridades em geral – ou a CPI tentará calá-los na marra.

Essa jogada é complicada de dar certo, pois a sociedade não irá engolir esse comportamento de seus homens públicos. E nem os dirigentes da Lava Jato irão se intimidar. Ao contrário, intensificarão o trabalho para punir os corruptos.

Leia a coluna completa na edição desta semana do Jornal do Cariri

 


Camilo anda no fio da navalha
Camilo anda no fio da navalha

Camilo está ciente que sua situação política é desconfortável dentro da direção nacional do PT. Os irmãos Cid e Ciro Gomes também sabem que seus movimentos interferem no futuro eleitoral do Governador.

Quase não há espaços para jogadas de convencimento lado a lado. O conflito está estabelecido. Camilo precisa ser inteligente ao não “puxar a faca” e assumir o voto em Ciro. Se fizer isso, sua reeleição corre riscos.

O máximo que Camilo poderá fazer é retaliar Guimarães, todavia num embate entre a lealdade ao Governador e ao ex-presidente Lula, o parlamentar ficará com o ex-presidente e o PT. Camilo não controla sozinho o PT.

Quem detém esse controle é Guimarães.

De cima a baixo.


Direção do PT fecha portas de Ciro Gomes
Direção do PT fecha portas de Ciro Gomes

A presidente nacional do PT, senadora Gleisi Hoffmann, comunicou, ainda no final de semana, ao governador Camilo Santana, diante de sua ausência não justificada no lançamento da candidatura de Lula ao Planalto, que o partido não admitirá, sob hipótese nenhuma, seu apoio à candidatura presidencial de Ciro Gomes.

Gleisi ficou irritada com a atitude de Camilo. Avisou que iria e não compareceu. Usou o vice-presidente do PT, deputado federal José Guimarães, para lembrar ao Governador do Ceará que caberá a Direção Nacional do partido decidir: “a Comissão Nacional Eleitoral (CNE) conduzirá o processo eleitoral, por meio do GTE (Grupo Tático Eleitoral), iniciando as tratativas para a aliança nacional e nos estados em que governamos e em que aqueles partidos governam (PSB e PCdoB), sempre cabendo à CNE a decisão final”.

Assunto da coluna Rebate, da edição desta semana do Jornal do Cariri. Leia abaixo:


PDT quer fazer maior bancada federal
PDT quer fazer maior bancada federal

O presidente regional do PDT, deputado André Figueiredo, tem debatido com o governador Camilo e com Cid Gomes sobre a disposição do partido de não se coligar com nenhuma outra legenda. Essa é a mesma vontade do PT já manifestada pelo vice-presidente nacional, deputado José Guimarães. Sendo assim, a dúvida é qual coligação irá abrigar o PTB do prefeito Arnon Bezerra.

Essa escolha é essencial para o êxito da eleição de Pedro Bezerra à Câmara dos Deputados. Segundo cálculos de André, o PDT tem chances de eleger entre 10 e 12 deputados federais.

PSD trabalha para emplacar Normando

O presidente regional do PSD cearense, deputado Domingos Neto, articula com o Abolição para formar uma chapa que assegure não apenas a sua reeleição, como também a vitória do candidato Normando Sóracles. Domingos Neto afirmou que é prioridade do ministro das Comunicações, Gilberto Kassab, eleger Normando, garantindo um deputado federal “puro-sangue” (legitimamente) eleito com votos do Cariri.

Para concretizar esse objetivo, o PSD nacional investirá na campanha de Normando, confiante na oportunidade única de eleger um candidato novo e sem vícios, assegura Domingos Neto, que é também o atual líder do partido na Câmara Federal.

Tarso Magno na corda bamba

O vereador juazeirense Tarso Magno, conhecido pelo estilo fiscalizador, terror de várias administrações, parece estar provando do próprio veneno. Depois de ser chamado no plenário de vereador mais caro da Câmara, pelo atual presidente Glêdson Bezerra, agora Tarso foi denunciado por receber “mensalinho” da ex-gestão da Casa Legislativa.

A denúncia é da vereadora Auricélia Bezerra, que acusa o adversário de receber R$ 10 mil por mês, para apoiar a administração do ex-presidente Danty Benedito. Auricélia entregou ao Ministério Público do Estado uma gravação onde o ex-presidente admite que sofreu pressão, que beirou a extorsão, para repassar o valor mensalmente.

Na gravação, Danty garante: ele é o vereador mais caro de Juazeiro. Os promotores Igor Pinheiro e Silderlândio Nascimento devem analisar a denúncia. Eles estão de posse da gravação.

Auricélia quer destruir Tarso

Denunciada por Tarso como sendo a proprietária de uma empresa que presta serviço à Prefeitura de Juazeiro do Norte, usando uma “laranja”, Auricélia conseguiu provar sua inocência. Como trocou, prometeu revelar “a verdadeira face de Tarso”, acabando com a sua fama de bom moço.

Auricélia o denunciou por mentir no plenário da Câmara, ao dizer que não tinha nenhuma assessoria na gestão passada, quando mantinha 10 assessores, além de questionar a veracidade das informações prestadas à Receita Federal.

Auricélia ainda acusa Tarso de sonegar imposto e de esconder o verdadeiro tamanho do seu patrimônio. Aurilécia conseguiu uma prova inesperada: durante a apresentação da denúncia de enriquecimento ilícito no plenário da Câmara de Juazeiro, o próprio Tarso disse que os imóveis citados pela vereadora denunciante não representavam 10% da realidade.

A gravação com essa confissão, dispara Auricélia, foi enviada ao Ministério Público.

Santana do Cariri fez história

A batalha de Santana do Cariri revelou um esquema de pesado de conchavos entre as prefeituras da região do Cariri. No domingo, dia da eleição,
pelo menos cinco outros prefeitos enviaram representantes para trabalhar ao lado da prefeita cassada Danieli Machado e do seu marido, Teófilo Machado, considerado o dono da cidade.

Na manhã de domingo agentes da Polícia Federal foram à casa do casal: não encontraram nada. Tudo estava organizado nas mãos dos apoiadores. Gilmar Bender foi uma das poucas dissidências, mas prefeituras como Crato e Juazeiro estavam representadas contra o prefeito eleito Pedro Henrique (MDB). A ordem para o envolvimento a favor do candidato derrotado, Vicente Brilhante (PDT), veio de Cid Gomes. O jogo sujo fracassou.

 

 


Briga animada pela vaga de suplente de Cid no Senado Federal
Briga animada pela vaga de suplente de Cid no Senado Federal

Ciente que eleito senador, Cid Gomes corre o sério risco de permanecer no máximo um ano no cargo, brotou a maior confusão pela vaga de primeiro suplente em sua chapa. O nome apontado como favorito de Cid é do empresário Júlio Ventura Neto (PDT). Porém, há outras opções como a atual vice-governadora Izolda Cela, ou mesmo seu marido, o ex-prefeito de Sobral, Veveu Arruda.

Uma alternativa que surgiu nos últimos dias, com o retorno do PSD à base do governador Camilo Santana, foi o nome do ex-presidente do Tribunal de Contas dos Municípios (TCM), Domingos Filho.

Também não deve ser descartada a opção do ex-ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ), Cesar Asfor, ou mesmo de seu filho, o jurista Caio Asfor, ambos filiados ao DEM, que nacionalmente se aproximou da candidatura presidencial de Ciro Gomes.

Leia a coluna Rebate desta semana do Jornal do Cariri:

 


Cid Gomes resolve disputar Senado
Cid Gomes resolve disputar Senado

Depois de muitas avaliações, o ex-governador Cid Gomes decidiu mesmo concorrer a uma das duas vagas ao Senado. Concluiu que seu papel como coordenador da campanha de Ciro Gomes ao Planalto pode ser perfeitamente cumprido com sua campanha no Ceará, onde acredita não ter um adversário.

Confia que será o mais votado para senador e, sequer, teme ser atingido antes das urnas de outubro por qualquer operação da Lava Jato, que investiga as empreiteiras Odebrecht, Galvão Engenharia, OAS e a multinacional JBS. Cid está enrolada em todos esses escândalos, com delações o acusando inclusive de recebimento de propina.

Essas denúncias não o intimidam e Cid crê que o povo do Ceará irá desconsiderar essas acusações, rejeitando a pecha de corrupto que pesa contra ele.

O assunto é destaque na coluna Rebate desta semana do Jornal do Cariri


Disputa na Câmara de Juazeiro do Norte atinge prefeito Arnon Bezerra
Disputa na Câmara de Juazeiro do Norte atinge prefeito Arnon Bezerra

Após ter garantido que não vai interferir na disputa pela Mesa Diretora da Câmara de Juazeiro do Norte, o prefeito Arnon Bezerra começa a sentir os efeitos da sua decisão. Tencionado a escolher um lado, Arnon está sofrendo ataques da sua própria base na Câmara.

Nas últimas sessões, Arnon sofreu críticas de dois de seus maiores aliados. Seu líder, o vereador Adauto Araújo, criticou a demora nas obras da Praça Padre Cícero. Adauto comparou as obras da praça com as do Parque de Exposições no Crato.

As do Parque estão bem mais ágeis. Já Darlan pediu explicações à reforma de uma escola que, na sua avaliação, está caindo aos pedaços, mesmo depois do investimento.

Tentou denunciar, sem provas, que o dinheiro não foi aplicado. Adauto e Darlan engrossam o discurso para deixar o prefeito contra a parede. Perda de tempo, pois Arnon não se meterá nisso.

Leia a coluna Rebate da edição desta semana do Jornal do Cariri:


Ciro Gomes teme ter candidatura alvejada por delação da OAS
Ciro Gomes teme ter candidatura alvejada por delação da OAS

Limpo e com fama de não estar envolvido com o recebimento de propina de nenhuma empreiteira na Lava Jato, Ciro Gomes está nervoso. Esse cenário estaria com os dias contados. A procuradora-geral da República, Rachel Dodge, concordou com os termos propostos pelo ex-presidente afastado da OAS, Léo Pinheiro, e sua delação vai ser fechada.

Com essa decisão, Ciro teme por sua candidatura. A delação de Leo ficou paralisada por dois anos. Nesse período, circularam informações sobre o
teor. Léo teria dado detalhes sobre o pagamento de R$ 5 milhões referente a obras da transposição das águas do Rio São Francisco. Esse dinheiro teria sido entregue ao hoje secretário de Infraestrutura, Lúcio Gomes.

A outra acusação é um acerto da OAS com o Governo Cid para construir a ponte estaiada que nunca saiu do papel. Nos dois episódios, os irmãos Ferreira Gomes negam.

Nada vazou sobre conteúdo completo da delação de Léo Pinheiro.

Leia na íntegra a coluna Rebate da edição desta semana do Jornal do Cariri:


Publicidade