Sete dias da semana sem medo da notícia

Bandidos armados invadem hospital de Fortaleza e obrigam médicos a realizar parto
Segundo o relato de testemunhas, o bando era formado por cerca de 11 homens armados. Eles invadiram o "Gonzaguinha" de Messejana e forçaram os médicos a realizar o parto em uma jovem que seria mulher de um dos criminosos
Segundo relatos, a ação do bando no hospital assustou os pacientes, familiares e a equipe de plantão
31/03 12:04

Em uma ação ousada e violenta, bandidos invadiram um hospital na zona Sul de Fortaleza, na noite desta Sexta-Feira Santa (30), e obrigaram a equipe médica de plantão a realizar o parto deu ma jovem que seria, supostamente, mulher de um bandido membro de uma facção criminosa.

Com armas apontadas para a cabeça, médicos, enfermeiros e auxiliares do Hospital Gonzaguinha de Messejana  foram forçados a realizar o procedimento, enquanto os criminosos afirmavam que eram integrantes da facção  criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC).

Conforme testemunhas, o bando era formado por cerca de 11 jovens. A maioria usava armas de fogo e capuzes para que não fossem reconhecidos posteriormente.  Após os procedimentos, os bandidos levaram a mulher e o bebê.

A Polícia Militar  foi acionada para o local, porém, os criminosos já haviam desaparecido.

Repetição

As cenas protagonizadas por criminosos no “Gonzaguinha” de Messejana não são raras. Em diversos hospitais públicos da Grande Fortaleza, os episódios de invasão de bandidos têm se repetido nos últimos dois anos.

O principal alvos dos criminosos são as Unidades de Pronto Atendimento, as UPAs, localizadas em bairros da Capital, onde facções criminosos disputam o território em constantes tiroteios.

O resultado disso são jovens baleados. Os bandidos invadem os hospitais para forçar o atendimento médico de urgência ou quando tentam “terminar o serviço”, isto é, matar os inimigos que foram feridos e buscaram socorro nas unidades.

Confira nota de repúdio

 



*Publicidade

Publicidade


Leia Também

Links Patrocinados