Sete dias da semana sem medo da notícia

Bandido morre quando fazia assaltos próximo à estação do Metrofor em Maracanaú

De janeiro a setembro, 123 bandidos morreram em confronto com a Polícia no Ceará

query_builder

Um assaltante morreu no começo da manhã desta sexta-feira (13) quando praticava crimes de roubo nas proximidades da estação do Metrô, na cidade de Maracanaú, na Região Metropolitana de Fortaleza (RMF).  Armado e um comparsa estavam atacando as pessoas que desembarcavam dos trens naquela cidade para seguir em direção ao trabalho.

Nas proximidades da estação, a dupla voltou a agir e houve reação.  Um dos assaltantes acabou ferido e teve morte instantânea. Ele tombou com um revólver na mão. O bandido tinha em sua posse vários aparelhos celulares que seriam das vítimas dos assaltos.  O comparsa dele conseguiu escapar.

Até o momento, a Polícia não revelou quem teria sido o autor dos disparos contra o bandido. Uma equipe da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) esteve no local em busca de pistas. Já os peritos forenses recolheram a arma e os aparelhos que estavam com o assaltante.

Esta foi a segunda morte de assaltante na Grande Fortaleza nas últimas 24 horas, pois no começo da tarde de quinta-feira (12), um assaltante tombou sem vida ao trocar tiros com policiais militares de uma patrulha do Batalhão de Rondas Intensivas e Ostensivas (BPRaio), no Município de Caucaia.

O fato ocorreu no Conjunto Araturi, quando a dupla praticava ataques a pessoas nos pontos de ônibus e em estabelecimentos comerciais. Ao avistarem uma patrulha do BPRaio, os criminosos trataram de tentar fugir e ouve perseguição policial com tiroteio. Um dos bandidos foi baleado e morto. O comparsa ficou ferido e foi preso, sendo socorrido para o hospital por uma equipe do Samu.

Mortes por intervenção policial

Neste ano, de janeiro a setembro, ao menos, 123 pessoas morreram em confronto com a Polícia no Ceará. Na maioria, eram bandidos com longa ficha de crimes que trocaram tiros com policiais em resistência à prisão. Segundo dados da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), em todo o ano passado foram 109 casos.

Os registros de mortes por intervenção policiais não são contabilizados pela SSPDS na estatística geral dos Crimes Violentos, Letais e Intencionais (CVLIs), ou seja, os homicídios, latrocínios e lesões corporais seguidas de morte.